Boas notícias.

Essa semana foi meio cansativa e por isso não deu pra postar no blog, mas pelo menos volto com ótimas notícias! Na segunda-feira resolvi que iria atrás de qualquer aula de inglês de graça mesmo que fosse longe ou perto. Olhei mais alguns sites e vi o mesmo endereço que me deram de outra vez. Resolvi ir lá, fomos de ônibus mas ainda tinha que caminhar um tempinho até o lugar. Quando chegamos vimos na porta que o atendimento era até 4:30 e já eram 5:30, mas resolvemos entrar mesmo assim. Encontramos o professor que iria aplicar um teste 6h e ele disse que eu só poderia fazer minha matrícula na quarta, mas como já estava lá ele ia me colocar pra fazer a prova do listening (tem que fazer 2 listings e 2 readings) junto com quem iria fazer a prova 6h. O primeiro teste era só uma preparação pro segundo, porque dependendo da sua pontuação você vai ou não fazer o segundo teste. Errei poucas questões então fiz outra prova. Nessa outra só errei três então o professor falou que eu teria que fazer de novo em um nível mais elevado porque aquele foi muito fácil. Eu fiquei espantada quando ele falou de outro listening, porque demora muito e a gente mora longe de lá. Como já eram 8h da noite ele disse pra eu voltar na quarta e fazer os dois testes de reading e refazer um listening. Ontem começaram as aulas do Jr, que vão até às 3h da tarde. Enquanto ele estava na aula eu fiquei na biblioteca. Almoçamos por lá mas não gostamos. Vamos fazer comida em casa e levar pra almoçar lá, porque não dá tempo ele vir aqui e voltar. Às 3:30 ele tinha um seminário e achávamos que terminava 4:30 mas deu 5h e nada dele sair. Eu já tinha que ir embora porque o lugar do teste era longe e se perdesse o ônibus perderia a prova também. Quando estou saindo o Jr liga dizendo que vai comigo. Ufa! Não queria ir sozinha porque lá é longe da parada de ônibus e quando saisse ja estaria escuro. Chegamos lá e fui fazer as provas do reading, no mesmo esquema do listening: só faz a segunda que atingiu uma boa pontuação na primeira. Errei só duas e por isso a professora me passou o teste mais difícil que eles tinham lá.  A boa notícia é que com uma boa pontuação eu poderia vir estudar aqui pertinho de casa, onde fui outro dia e disseram que não tinha mais aula lá. Na biblioteca perto só temos aulas duas vezes por semana e no lugar longe são quatro vezes na semana. Já pensou ter que ir voltar todo dia?! Ia me cansar muito! Sei que deu certo minha aula de inglês bem perto de casaaaaa!!! Fiquei muito feliz! Hoje foi meu primeiro dia de aula. Os colegas de classe são poucos mas cada um de uma nacionalidade diferente. Tem uma polonesa, uma russa, uma coreana, uma japonesa e e um chinês. Como era de se esperar sou a mais nova da turma, que tem duas senhoras, um senhor um pouquinho mais novo e duas jovens de 25 a 30 anos. Hoje a professora pediu pra gente escrever sobre um lugar que queremos visitar e explicar o porquê e responder uma palavra cruzada sobre filmes. Eu adorei a professora e meus colegas. Acho que vai ser legal. Mas o que mais gosto é porque treino a fala, que eu tenho vergonha de exercitar quando saio. Na aula fiquei sabendo que tá vindo muita chuva pra esse final de semana. Principalmente para o sábado! Vai começar na sexta à noite e só vai parar sábado de noite. :( Pelo menos vamos estar de carro na hora do supermercado! Alugamos pelo programa da universidade e funciona assim: você se inscreve no programa e espera ser aceito, depois de aceito pode entrar no site e reservar o carro pro dia que você quiser. Para recebê-lo basta escolher um dos estacionamentos mais perto que o carro vai estar lá. Para abrí-lo usa-se um cartão que eles mandam por correio. Nosso medo era que não chegasse a tempo, mas chegou hoje! Uhuuu!! Não falei pra vocês que tínhamos boas notícias?!

Final de semana ‘badalado’.

O jantar na casa do professor estava marcado para às 19h de sábado. Já sabíamos da tão falada pontualidade americana e por isso nos programamos para chegar no horário. Fomos mais cedo ao supermercado (achei creme de leite!!!!!!!!!!) e como sempre pedimos um táxi ao final. Mas quem disse que ele chegava? Depois de duas ligações reclamando do tempo e 50 minutos passados o táxi chegou! Enfim, chegamos em cima da hora e nem deu tempo o Jr ajeitar meu cabelo como havíamos planejado (ele sabe fazer trança, hahaha). Chegamos lá depois um pouquinho depois das 19h e praticamente todo mundo já estava. Abrimos a porta e apareceu uma senhora (não tão senhora assim…) que foi logo se apresentando, era a mulher do professor dono da casa. Como eles tinham pedido confirmação das presenças fizeram um adesivo-crachá com o nome das pessoas que confirmaram. Ela mostrou onde era que estavam e pediu pra colocarmos (todo mundo estava com essa identificação, inclusive ela). Enquanto o Jr procurava nossos nomes ela foi me dizendo que as cervejas estavam no porão, o vinho e outras bebidas alcólicas na cozinha, os refrigerantes na parte de trás da casa e o jantar na sala. Quando Jr achou meu crachá adivinhem como estava escrito? Carolina da Silva. Meu nome não tem da Silva, mas o dele tem e como ele falou que éramos casados eles colocaram o mesmo sobrenome (aqui as esposas são chamadas pelos sobrenomes dos maridos). Detalhe que no crachá do Jr não tinha Silva. Enfim, entramos, cumprimentamos quem estava ali pela porta e fomos procurar um lugar para nos ‘instalarmos’. Aí começam as diferenças: não tinha mesa nem cadeiras a mais, só espalharam as que ficam na mesa de jantar e pronto. Todo mundo estava em pé. O ‘jantar’ era salada, biscoitinhos de gergelim com patê, uma tábua de queijos, frutas, pão e outra coisa que não consegui identificar que parecia um caldo, sopa, não sei… As pessoas comiam em pé, usando pratos e talheres descartáveis bebendo na própria latinha do refrigerante ou em copos descartáveis. Querem mais praticidade que isso? A mesa de sobremesas tinha brownies individuais (enfim comi um brownie americano e…não tem castanha!!!) e tortinhas de limão. O enfeite do brownie era uma framboesa, comi e achei o gosto igual acerola, pensei que fosse mais gostosa. Um grupinho de colegas do Jr se aproximou, tentou bater um papo, mas parece que a coisa não fluia. O romeno era engraçado e gente boa, mas mesmo assim não vinha conversa, foi todo mundo se dispersando e ficamos sozinhos. O estilo da casa dele é muito diferente da brasileira, parecia que eles adoravam relógios porque tinham uns bem bonitos espalhados pela casa. Passado um tempinho o anfitrião foi apresentar os novos estudantes de mestrado e doutorado. Ele esqueceu de falar alguns nomes, inclusive do Jr, perguntou quem tinha esquecido de apresentar e todo mundo menos o Jr levantou o braço (ficou com vergonha, pra variar hehehe). Em seguida os professores e assistentes novatos no departamento foram apresentados. Ao término das apresentações ele perguntou de novo se tinha esquecido alguém, aí o menino que estava do lado da gente olhou pro Jr e disse: “você não foi chamado né? Prof, você esqueceu ele!” O professor sorriu, me apresentou primeiro e disse que o Jr tinha muitos nomes! hahaha Ele também falava de qual universidade a pessoa estava vindo, agora imaginem como ele falou o nome do nosso estado: Piááui. Foi engraçado. Logo depois das apresentações muitas pessoas foram embora, mas o professor brasileiro começou a conversar com a gente e quando nos espantamos a esposa do anfitrião tinha diminuido a intensidade da luz, ou seja, era hora de ir embora. Isso não foi feito de uma forma rude e a mulher não era chata, são apenas costumes diferentes. Um professor novato (e novinho) viu o crachá do Jr, disse que já tinha visto o nome dele na lista de alunos e veio nos cumprimentar. A mulher dele lembrou que me viu esperando o Jr um dia na universidade e disse que minha saia (pra variar Rita Prado :)) era muito linda! No Brasil geralmente só as amigas elogiam, já prestaram atenção?! Parece que desse lado do mundo eles não têm vergonha de admitir quando gostam de algo, acho que o nome disso é sinceridade e espontaneidade. Na saída ainda tinha uma rodinha de professores e eles perguntaram pro nosso compatriota se tínhamos conversado muito português. Fiquei curiosa e perguntei se sempre apareciam brasileiros por aqui, pra minha surpresa o professor respondeu que o Jr é o primeiro na matemática que ele tem notícia desde quando chegou na universidade (que foi em 1993). Então ele não tem praticado muito o idioma, imaginem o sotaque americano quando ele fala. hahaha Gentilmente ele nos ofereceu uma carona e era impossível recusar, né?! Batemos um bom papo até chegar em casa. Foi uma experiência muito diferente mas muito legal também. Também fizemos 3 meses de casados, mas o jantar de comemoração ficou pra outro dia. Ontem Jr acordou mais cedo pra ir à Igreja mas se perdeu no caminho e voltou pra casa mesmo. Eu tinha ficado em casa preparando nosso almoço legal de domingo. Fiz purê que eu prefiro do que o arroz, um polpettone e banana empanada (porque aqui não tem banana da terra pra fritar…). Jr amou!!! Disse que foi o melhor que eu já fiz. Depois fomos ao tal churrasco da universidade. Fomos pontuais e quando chegamos estava exposta uma mesa com hamburguers ( um ao molho barbecue e um vegetariano), salsichas, pães, salada, milho verde (era diferente, estava cru, temperado com sal, pimenta, cheiro-verde e alguma coisa doce que não consegui identificar), uma massa e alguns molhos. Ao lado, os refrigerantes e a cerveja. Não tinha ninguém que trabalhava na universidade, as únicas pessoas que estavam lá além dos alunos eram da equipe que estava servindo a comida (terceirizado). Só vimos um menino da turma do Jr e acho que ele não nos viu. Todo mundo sentou no chão, quem já se conhecia começou a interagir e pronto. Disseram que ia ter jogos mas não vimos. Na verdade era só um lanche de graça para os novatos. Tinha um menino com a camisa do Brasil, mas ele não tinha cara de brasileiro. :p Jr tava doido pra assistir um filme e fomos ao cinema depois. Tinha 6 salas e a nossa era bem pequena, acho que era pra umas 100 pessoas apenas. Fui inventar de comprar pipoca mas me arrependi. Não pelo gosto, pois estava ótima, mas sim pelo preço! Estou começando a achar as coisas caras daqui. hahaha Adorei nosso final de semana de experiências diferentes.

P.s.: Na foto abaixo quero mostrar os dois relógios que achei lindos. Detalhe pro carpete na sala, no Brasil não temos isso né?

Algumas diferenças.

Quinta-feira fomos ao shopping (a gente vive lá e eu adoro! hahaha) e coloquei meu tradicional batom vermelho. Chegando lá recebi um elogio da moça do perfume. Depois entramos em uma loja de departamento enorme e umas 5 mulheres acharam meu batom incrível, perguntaram até de que marca era! Naquele dia a loja estava maquiando as clientes de graça, uma vendedora veio me avisar e elogiou minha roupa, meu batom e perguntou qual pó eu estava usando, quando eu disse que não estava usando nada ela falou: humm, pele boa, hein?! Apesar de quase nunca usar protetor solar e/ou hidratante estou conseguindo manter minha pele limpa (fugindo do sol! kkkk). Quem não gosta de receber elogios né? Ainda mais quando se tá acima do peso como eu. hahahaha Parei pra pensar e cheguei à conclusão de que aqui as mulheres (exceto as negras) não são tão vaidosas quanto as brasileiras (e olha que nem sou tão vaidosa assim, só sei passar o batonzinho mesmo). Em um outro lugar a caixa perguntou da onde éramos, quando respondemos Brasil ela achou o máximo! Disse que era louca pra conhecer, que a amiga foi lá ano passado e que devíamos estar empolgados com as Olimpíadas em 2016. Engraçado, todo mundo quando descobre que somos do Brasil fala das Olimpíadas e da Copa, mas nem eu nem o Jr estamos tão empolgados como eles pensam… hahaha Nesse mesmo dia teve jogo do time de baseball daqui e quando pegamos o metrô estava lotaaaaaaado (igual ônibus 18h!!!) de torcedores com as camisas do St. Louis Cardinals. Nunca imaginaríamos que o metrô estaria mega lotado numa quinta à tarde (ele nunca tá cheio). Ao lado de cada parada do metrô tem um edifício garagem para as pessoas estacionarem lá e ir pra o lugar desejado usando transporte público. Já vi umas faixas do tipo “Estacione aqui de graça e colabore com o trânsito” e achei interessante a proposta. Brasil podia copiar hein?! Teresina,por exemplo, “tá que não” anda. Os torcedores deixaram seus carros nesses locais e foram de metrô mesmo. Lá no estádio também não tem estacionamento pra esse tanto de gente e aqui quem para em local proibido tem o carro rebocado e ainda paga o guincho depois! Já vi vários sendo rebocados. Ahh, falando em carros e estacionamentos também percebi que quem estaciona na rua tem um espaço bem melhor que no Brasil, os carros não ficam colado um no outro, tem uma distância de segurança (ninguém merece ter que fazer aquelas balizas no Centro, hein?!) entre um e outro. Não tem flanelinha, cada pessoa coloca sua moedinha na máquina pra pagar a vaga e pronto! Como o papai diz, é país de primeiro mundo. Apesar disso ainda vejo mendigos pedindo um troquinho na rua… Ouvi mil e uma coisas sobre os americanos, mas até agora eles foram bem simpáticos e muito prestativos. Podem até ser reservados, mas com os que convivi até agora não tive problemas. As pessoas se cumprimentam na rua, pedem licença, por favor, desculpa e sempre falam obrigado! Até as crianças, acho fofo! :) Eu ainda acho estranho chegar no restaurante e não escolher o lugar que quero sentar, a maioria é a recepcionista que nos leva até a mesa que ela desejar. Ao mesmo tempo somos TÃO BEM atendidos que no final não estou nem ligando se escolhemos o lugar ou não. Mudando de assunto… Chega o final de semana e eu vejo todo mundo no facebook super alegre, comemorando, saindo, e eu aqui em casa, sem poder sair… Às vezes fico até com uma pitadazinha de saudade do que eu fazia na sexta, no sábado e domingo na minha cidade, mas nada que dure muito tempo. Lembro dos motivos pelos quais estamos aqui e quantas pessoas queriam estar no nosso lugar. Resolvi seguir mais uma vez as dicas da mamãe e ir conhecer o que STL tem de bom. A cidade é famosa também pelo Jardim Botânico e esse será nosso passeio na segunda. O professor brasileiro falou pra gente que até jaboticaba tem lá (nunca vi no Brasil, vou ver nos EUA hahaha). Jr está de férias ainda, pois o mini-curso acabou sexta passada e as aulas começam só na quarta, por isso quero aproveitar o pouco tempo livre que ainda nos resta. Esses dias que antecedem o começo das aulas estão cheios de eventos que a própria universidade organiza. Hoje ele foi para um encontro do departamento de matemática e depois foi servido um almoço, mas ele falou que só tinha sanduíche e veio embora. Fomos almoçar fora e aproveitamos pra tomar sorvete. Todo mundo que me conhece sabe que eu não sou fã de sorvete, mas vi um anúncio de que ele vinha junto com churros (que eu amo!) e pedi, mas me decepcionei com o gosto. Não queria voltar pra casa ainda e fomos na feirinha. Só tinha uma ‘barraquinha’ aberta e realmente os preços das frutas e vegetais estavam mais baratos do que no supermercado, mas como ainda temos na geladeira não compramos nada. Na Universidade o Jr descobriu que não será almoço amanhã na casa do professor, mas sim uma festa à noite. A parte ruim é que não temos carona e vamos gastar com táxi porque lá não passa metrô perto. No domingo tem um churrasco à moda americana também na universidade, já vi que vai ter hamburger (pra vegetariano também), cachorro-quente, brincadeiras e muito mais coisas. Preciso dizer que estou morta de ansiosa por esses dois eventos?! Quero saber como um americano recebe em casa e como será o famoso churrasco nada-a-ver-com-o-brasileiro (e vocês também hein?!).

 

P.S.: Alguém percebeu que mudei a foto de fundo? Melhor assim ou o antigo mais divertido? :)

“Nem tudo é como você quer…”

Segunda feira de tarde fomos conhecer o famoso arco que todo mundo me pergunta se eu já tinha visto e que eu já falei dele aqui no blog. É muuuuito longe de casa, mas o metrô tem uma parada praticamente dentro do parque onde ele está, então foi tranquilo. Tínhamos que passar na USPS (Correioa daqui) e deu certinho porque tinha uma agência bem perto.Durante o passeio recebemos um email da universidade avisando que nosso apartamento seria inspecionado (entre o horário de 9h às 15h). Não precisava ficar em casa, mas o Jr queria estar durante a visita, e depois até achei melhor. Assim perguntaríamos sobre o lixo e o triturador que não falava no contrato. Ficamos de acordar bem cedo, pra arrumar  a casa pra tal inspeção, mas quem disse que conseguimos?? Na madrugada noite anterior fomos inventar de fazer o bolo da Doce Vício aqui, então dormimos beeem tarde. O bolo era só pro café, então me segurei pra não experimentar quentinho (amo bolo quente!). Fiz um recheio, mas coloquei muito leite e por isso não engrossou nunca o negócio, mas tudo bem, mesmo fino estava gostoso. Quando acordamos fui direto pro bolo e…ficou duro :( Não ficou fofinho igual o da mamãe, ela acha que eu podia ter acrescentado mais leite ou o fermento não é igual ao que ela usa. Apesar de duro ele ficou bom, foi como se eu tivesse colocado ele na geladeira, mas o gosto estava bem parecido. Pra variar não sabia o que fazer pro almoço, não tava afim de nenhum tipo de carne, frango ou peixe… ainda bem que quando eu não sei o que cozinhar o Jr fala “faz só um omelete pra mim que tá bom”. Eu não lembrava direito a receita do último que tinha feito, pedi pra ele procurar e ele achou foi outra mais complicada, mas eu fiz mesmo assim. Eu não gosto, então tinha que achar uma coisa pra eu almoçar e fiz um macarrão cremoso e ficou muito bom. Ou seja, almoço de ontem foi aprovadíssimo por ele e por mim. Ainda bem! Adoro quando ele come e gosta, importa mais do que quando eu gosto, porque quem conhece sabe como é o Jr pra comida (eu também sou chatinha…). Quando estava terminando de fazer o almoço os inspetores chegaram! Descobrimos que aqui não temos o triturador na pia, qual a lixeira certa pra jogar os recicláveis e o resto e que um interruptor na cozinha não serve pra nada (o que eu achava que era do triturador). Essa visita não demorou mais que cinco minutos, eles só queriam saber se tudo aqui estava funcionando corretamente e a única coisa ‘errada’ que eles encontraram aqui foi alguma coisa que estava faltando na janela (eu tava fazendo o almoço, não sei o que é) e depois vem aqui consertar. Ah, a inspetora falou que minha comida tava cheirando bem. hahahaha (tô me achando A cozinheira, né? kkkkkk). Depois o Jr foi terminar de resolver a burocracia do número do seguro social dele mas quando chegou lá tava fechado (detalhe: no site tinha dizendo que fechava 16h, mas na verdade era 15:30 e o Jr chegou lá 15:27). Marquei pra hoje minha matrícula de inglês, era 13h e não ia dar tempo fazer um almoço mais caprichado, fui pelo pouco que sei e ficou ruim. :( Comemos mesmo assim, afinal já disse aqui que morro de pena de jogar um grão de arroz no lixo né?  Cheguei na biblioteca 20 minutos antes da orientação e fui perguntar onde era, uma pessoa não sabia foi perguntar pra outra… Essa outra falou que esse grupo da aula de inglês não estava mais lá e o melhor que ela podia fazer era me dar o telefone pra eu me informar. Fiquei muito triste. Entrei no site e fiz uma pré matrícula pro horário de 13h naquele local e quando chego lá descubro que eles estão em outro lugar bem distante… Tô quase desistindo dos cursos de inglês free, todos são muuuuito longe de casa e nem de metrô consigo chegar lá. O jeito vai ser procurar uma aulinha paga, mas barata e perto de casa. Aproveitei que estava ‘na rua’ e fui atrás da feirinha que não tinha achado outro dia e agora sei onde é!! Eba! Ela só funciona dia de quinta, sexta e sábado, devemos ir lá. Passeei mais um pouco e entrei numa papelaria/loja de material pra artes. Fiquei encantada! Logo na porta vi três pranchetas bem legais e muito mais baratas do que a (agora) feiosinha que comprei em The. Muitas tintas, pincéis, telas, papéis, adesivos, enfim…um mundo! Lembrei de todo mundo que eu sei que adora essas coisinhas como a mamãe (artista por formação e de primeira :P), Binha, Rita, Giesse, Martina (tinha uma parte só pra origami, Tina!), Dadinha… Estou começando a descobrir a cidade e estou gostando, porém é como diz a música: nem tudo é como você quer, nem tudo pode ser perfeito… Bola pra frente. :)

Sobre St Louis

Muita gente me pergunta que horas são aqui e percebi que ainda não falei quase nada sobre a cidade que estou morando. Pois bem, St Louis fica no estado do Missouri, ao lado do Illinois, a mais ou menos cinco horas de Chicago (é o lugar perto mais conhecido). Não é perto da maioria das cidades turísticas e que todo mundo conhece aqui dos EUA. Estamos no meio do país, então também não é tãããão longe de qualquer uma delas (considerando que eu poderia estar morando numa ponta ‘desconhecida’ desse enorme EUA). Aqui tem um arco enorme na entrada da cidade e quando joga o nome daqui no Google é a primeira coisa que aparece, mas ainda não fomos conhecer. Antes de vir, pensei que veríamos muuuitas igrejas evangélicas, porém estamos com dificuldade de achar e chegar numa Igreja Batista, porque é muito longe da nossa casa. O sistema de transporte público não é tão eficiente assim; o metrô quase não tem paradas, ou seja, em qualquer lugar que alguém desça as chances de ainda andar uns 15 a 20 minutos para se chegar ao destino são grandes. Não vejo muitos ônibus e o Jr viu no google maps que o que leva pra Igreja, por exemplo, só passa de 40 em 40 minutos, então se perdeu…já era porque o metrô não passa pelo Centro (???). Descobrimos que a universidade empresta (aluga) carros para estudantes por um preço melhor que as locadoras. Quando vamos ao supermercado pegamos o metrô mas voltamos de táxi porque não temos condições de trazer tuuudo na mão. Esse gasto é o mesmo de alugar esse carro ‘da universidade’ por uma noite (de 18h às 8h da manhã). A gente tem direito de andar 200 milhas e não paga combustível, muito bom né? Estamos esperando a aplicação do Jr ser aceita para usufruir desse benefício. Por enquanto não temos dinheiro pra comprar nem uma televisão imagine um carro. kkkkk Não temos sofá, nem mesa na sala, mas estamos felizes assim. Agora a palavra da vez é: economizar! Falando nisso, o supermercado ainda está saindo um pouco caro porque estamos comprando aos poucos tudo que precisamos, mas como aqui tudo é tamanho família e só somos dois tem coisas que vão durar mais de um mês. Por exemplo: sal, sabão, detergente, limpa-banheira (ebaaa, acheeei!!), fósforo, arroz, macarrão, entre outras mil coisas. Como eu sempre digo, aos poucos tudo vai se normalizando e entrando nos eixos. Somos marinheiros de primeira viagem em relação a assuntos de casa, cometemos alguns erros mas com eles aprendemos. Por exemplo: comprei uma vassoura e um rodo que foram muuuito caros e poderia ter comprado um ‘aspirador de pó’ típico dos EUA que é como se varrese e passasse o pano ao mesmo tempo. Teria facilitado minha vida, porque não tem rodo igual no Brasil, comprei um que gira 360º e quando penso que não ele vira sozinho. hahahaha Descobri que o triturador de comida está realmente com problemas, porque  com a ajuda de outra blogueira descobri que o interruptor ao lado da luz é dele e quanto ligo não funciona. Vamos no lugar onde pegamos a chave do apartamento para sabermos se já estava ou se nós que ainda não aprendemos a usar (vai que depois eles colocam culpa na gente de ter quebrado). Domingo merece almoço especial, então fui atrás de uma receita fácil, gostosinha e que me fizesse comer com os olhos também. Na receita dizia que só era pra eu colocar a carne na frigideira quando tivesse saindo fumaça. Ok, esperei e deu certo!! Quando estávamos almoçando uma sirene começou a tocar dentro do apartamento (da outra vez era na rua), no mini-corredor que liga a sala à cozinha. Tocou uma vez e parou, demorou uns 30 segundos e começou de novo, parava e começava de novo, até que uma hora não parou mais. Uma hora dessas eu já estava apavorada e dizendo pro Jr ir bater nos vizinhos pra perguntar o que era aquilo. Ele não achou ninguém, mas antes de ir ele ligou o ar condicionado (já disse que é na tubulação né?) e quando voltou a sirene tinha parado. Depooois Jr descobriu que era o alarme de incêndio que tinha tocado.A cozinha tava cheia de fumaça e tinha que ligar o exaustor (que é ligado tb na mesma hora do ar) pra parar de tocar!!!! kkkkk Ontem fomos pro supermercado e pedimos pra trocar nossas notas de um dólar por moedas de 0,25! Nossas roupas estão felizes que hoje vão ficar cheirosinhas!! Falando nisso, compramos um ferro e uma tábua de passar… Arranjei mais um dever de dona de casa pra fazer. heheheAlguns ainda não sabem como vou viver aqui, por isso, vou explicar. Antes de virmos ganhamos muitos presentes em dinheiro e algumas coisas de casa, então já tivemos uma ajudazinha. Nem eu nem o Jr trabalhamos (nosso visto F também não permite), mas ele ganhou uma bolsa da WUSTL (não tem vínculos com o Brasil) e isso será nosso sustento. :p Na hora em que ele foi matriculado o plano de saúde da universidade foi feito pra ele e como ele é estudante ‘só’ paga 10%, mas eu tenho que pagar 100%. :(

Almoço com colegas de faculdade.

Demorei a postar porque queria contar pra vocês como foi o almoço ‘de integração’ que fui com o Jr. O professor dele (brazuca) ofereceu esse almoço no Blueberry Hill (já falei dele por aqui, acho), que é um restaurante típico (por isso, bem calórico :P) aqui de St. Louis. Só  me lembro do Ferreirinha (meu primo) quando vou pra lá. Eu não estava nem um pouco afim de ir porque só ia ter as pessoas que estudam com ele e o professor, iam falar de matemática e eu não ia entender nada. Mas o Jr falou com o professor e ele disse que eu podia ir também, então fui. Era umas 20 pessoas por isso dividiram em duas mesas. Combinamos de nos encontrar lá, porque eu ia de casa e o Jr da universidade. Quando cheguei  ele tava conversando com dois chineses, o Jr me apresentou e um ficou com a cara espantada me olhando não sei porque…hahaha O almoço foi bem legal, as pessoas que trabalham no departamento de matemática também foram e uma senhorinha super simpática me deu dicas até de feirinha pra comprar frutas e verduras. Foi muito mais interessante do que eu tinha pensado. Antes de ir falei com a mamãe pelo skype e ela disse que eu tava tristinha, eu respondi que era porque não tava com vontade de ir e ela falou pra eu não me isolar e ainda ir bem bonita porque “você é a esposa do Jr, um futuro ganhador de prêmios e medalhas”. hahaha Ok, muitas roupas minhas estão pra lavar (porque a máquina só aceita moeda de 0,25 e a gente nunca tem o suficiente pra lavar e secar) e eu não sabia qual escolher, mas queria acatar a sugestão da mamãe e ir mais arrumadinha. Só coloquei uma sandália mais alta, passei um pozinho e batom, coloquei uns acessorios e fui. Na hora que cheguei o Jr disse que eu tava bonita e perguntou porque eu tinha ido chique!!! kkkk Lá recebi elogios de um professor deles e da senhorinha simpática do departamento. Thanks mom! (ela vai ficar se achando quando ler isso). O único problema é que depois do almoço voltamos na universidade pra pegar a bicicleta do Jr e passamos na biblioteca e como eu tava de salto ganhei vááários calos no pé, agora to aqui quase sem colocar o pé no chão. No próximo sábado teremos outro almoço na casa de um professor, vai ser a tarde toda e agora estou animada pra ir! No dia 16 eu tava em clima de feriado porque em The era feriado. kkk Queria passear e tínhamos que ir ao shopping mesmo, então deu certinho. Amo as lojas que tem aqui, nem que seja só pra olhar. Quando saímos de casa começou a ventar e a trovejar, mas pensei “ainda vai demorar um pouquinho até começar a chuva…”. Só descemos do metrô e começou!!! Não tínhamos nem uma sacolinha plástica pra fazer de guarda-chuva. kkkkk Chegamos no shopping ensopados, parecendo que tínhamos saído do banho. Morremos de vergonha de entrar assim, mas foi o jeito. Nos enxugamos no banheiro e depois ficamos sentados esperando secarmos mais um pouquinho. Aff, quase chorei quando me vi  no espelho toda molhada. Eu fico pensando que temos que passar por cada coisa onde não conhecemos nada nem ninguém… Ahh, mudando de assunto. Jr comprou o livro do SAT (como se fosse o vestibular daqui) pra eu começar a estudar. O bom é que não cai um mundo de coisas igual no Brasil. Quarta-feira vou me matricular no curso de inglês e que vai me ajudar muito nessa parte na prova. O bom é que a aula vai ser a dois minutos aqui de casa!! Bom também que conheço mais pessoas, não fico o dia todo em casa e ainda melhoro meu inglês. Agora vou fazer a lista do supermercado, procurar os nomes em inglês de tudo e achar cupons pra deixar as compras mais baratas!

Curiosidade: as portas só trancam com chave pelo lado de fora. Por dentro é uma trava. Eu não falei que eles são impressionados com saídas de emergência? :)

Housewife.

Às terças e quintas o Jr não terá aula nem no minicurso nem quando as aulas do doutorado começarem. Ainda bem! Assim ele pode ficar mais tempo aqui comigo, mas ontem não foi o caso, infelizmente. Ele ainda teve que ir na universidade resolver algumas pendências (papelada por cima de papelada) e fiquei sozinha em casa. Até que não foi tão ruim assim. Porém se ficar todo dia durante esses quatro anos eu enlouqueço, mas por enquanto estou de férias. hahaha Acordamos bem tarde e o almoço estava programado pra ser um salmão, quando fui abrir o pacote vi que do lado de trás ainda tinha pele. :( Eu tentei tirar mas não consegui, o peixe é muito mole descongelado e se desfaz quando pego, por isso devolvi pro congelador e outro dia tento ‘descascar’ enquanto ele ainda estiver frio. Aí eu tinha tirado só isso do congelador e se eu fosse tirar outra coisa pra descongelar só comeríamos no jantar! Expliquei a situação pro Jr e ele falou que eu podia fazer só um omelete e grelhar duas linguiças que não tinha problema. Mas e pra mim? Eu não gosto nem de linguiça muito menos de omelete. hehehe Já tinha uma receita de purê nos  meus achados no blog (panelaterapia.com) e fui fazer. O Jr ama e eu também, mais uma opção pra incrementar o almoço dele. Peguei o arroz que já tinha pronto e acrescentei ervilha e ralei cenoura pra ficar mais gostosinho. Tinha umas bananas aqui quase estragando então resolvi tentar empanar sem usar farinha de pão, não deu muito certo, mas como eu gosto da fruta adorei mesmo assim. Jr também gosta de salada e um dia desses ele comeu uma no shopping e amou. Fui tentar imitar e deu certo!!! Quando ele chegou só viu o omelete, arroz e UMA linguiça, já foi logo perguntando porque só fiz uma. hahaha Mostrei o elemento surpresa pra ele (purê) e a salada, os olhos brilharam. kkkk Ele aprovou e disse que estava realmente tudo ótimo, e ele não falou só pra me agradar, disse que ficou impressionado porque estava tudo uma delícia. Ainda bem! Pelo menos na cozinha estou desenrolando, bagunçando muito ainda mas pelo menos tá dando certo. De tarde iríamos devolver o suplemento que ele comprou porque ele não gostou mas aí o cochilo do almoço já foi tarde, ele estava cansado de tanto andar de bike (pense no atleta! :P) e ficamos aqui mesmo. Pro jantar tinha um ravioli no congelador e fui fazer com um molho, mas foi pouco e ficamos com fome ainda. hahaha A parte ruim de cozinhar são as louças depois… Aqui também não tem tanque nem uma torneira grande pra lavar qualquer coisa como no Brasil, fui tentar lavar pano de chão e prato mas não deu certo. Vou ter que gastar esse 1 dólar. :( Ainda não sei muito sobre limpeza então ainda não sei como deixar a banheira bem branquinha, da próxima vez que for ao supermercado vou procurar algum produto específico pra isso. Tudo aqui tem o que eles chamam de bleach (deixar mais branco) então acho que vou conseguir tirar a mancha que tá na banheira. Ainda não fui conhecer nenhum ponto turístico da cidade, não faço muita questão de ir muito menos o Jr mas a verdade é que eu estou tentando economizar até na passagem do metrô, no fósforo, em tudo… fico morrendo de medo de acabar o dinheiro e a mamãe não ta aqui pra me salvar. :p Ainda não sei quanto será nosso gasto fixo mensal, por isso que estou receosa. Ainda não consegui economizar na comida e fico com dó de jogar qualquer resto que seja fora. Estou pesquisando supermercados mais próximos de casa, mas ainda não achei. Mudando de assunto… no Brasil só temos rodovias, ruas e avenidas e tá ótimo! Aqui tem Road (por exemplo Clayton Road), Parkway Forest Park Parkway), Highway, Drive (Memorial Drive), Street (ainda não vi nenhuma aqui), Boulevard (Skinker Blvd) e Avenue (Kingsland Ave). A rua que moro é Ave(nue) e não é uma avenida (não na minha concepção brasileira) então ainda não entendi as diferenças de uma definição pra outra e também não sei pra quê tantas. O tempo já está começando a mudar. O calor já não está no mesmo nível de Teresina (ufa!) e eu passo o dia no ar condicionado então não estou suando muito. Passo o dia com ele ligado porque não é na energia, é uma tubulação que ‘joga’ o ar em cada cômodo da casa (inclusive no banheiro!), assim quando o tempo tiver frio é só a gente ligar o aquecimento e a casa  vai ficar toda quentinha. Em todos os lugares a gente vê escadas de emergência. Já vi até na parte da frente do prédio. Eles são mais preocupados com a segurança do que com a aparência, não estou dizendo que seja certo ou errado, só comentando. A cidade é toda acessível; as entradas do metrô, todos os lugares da universidade, as calçadas, as passagens de uma rua pra outra, enfim, tudo! Exceto nosso prédio. :( Ainda bem que moramos no primeiro andar e só temos cinco degraus pra subir. Falar em ruas a gente vê esquilo em todo lugar. Aiii, como são lindinhossss!! Eu ainda não me acostumei e fico besta olhando e mostrando pro Jr (parecendo o papai quando vê uma raposa lá perto de casa :)). Acho lindo os bichinhos correndo de uma árvore pra outra.

ps: se alguém souber como tirar a pele do salmão me ajuda ae! :P

Começando a semana.

Hoje, segunda-feira, o Jr começou um mini-curso na universidade. Ele não é obrigado a fazer, mas viemos pra cá pra ele estudar (e eu também :)), então ele está frequentando as aulas. Além disso, é de uma matéria que ele nunca tinha visto e ela só é lecionada para quem está interessado em pesquisa (na graduação eles não veem essa disciplina). O mais legal é que o professor é brasileiro e trabalha na WUSTL desde 1993. Ainda bem que as aulas aqui não começam nem 7h nem 8h, só a partir das 10h, então como gostamos de dormir tarde não teremos que mudar nossos hábitos. Hoje na aula ele me falou que tinha 12 alunos, 8 eram chineses, 1 turco, 1 romeno, 1 americano e ele. Ele já ficou coleguinha de dois chineses, do romeno e do americano. Quando ele saiu pra aula fiquei em casa sozinha com a missão de fazer um frango pro almoço. Fui atrás de uma receita para temperá-lo e a única coisa que estava na receita que eu não tinha era o colorífico, mas eu nem acho que precise mesmo. Fiz na frigideira com bacon e cebola e ficou bem gostosinho. Jr aprovou! Fui inventar de fazer uma outra salada mas não deu muito certo, o bom é que já sei como fazer de uma próxima vez pra dar certo. De tarde o Jr foi pra aula de novo e eu fiquei. Aproveitei pra limpar a casa enquanto ele não estava porque ele tem alergia a poeira. Limpei o banheiro, troquei as toalhas e organizei nosso cantinho. Quando eu olho pra sala ao lado e não vejo nada acho que nem parece uma casa, mas aí eu lembro que estou deitada na nossa cama e olho os ‘móveis’ que estão em frente a ela e percebo que é uma casa sim. hahaha Apesar de nunca ter usado triturador de comida no Brasil estou arrasada (eita exagero!) porque não achei o da pia daqui. :( Toda casa tem e funciona e na minha porque não consigo achar??? Aí que vai um lixo todo misturado (orgânico+reciclável+não reciclável) lá pra fora. Ontem fomos fazer o jantar e vimos que as embalagens dos queijos e de outras coisas são do tipo zip loc (aqueles saquinhos que a gente leva remédio quando vai viajar), adorei porque assim não precisa colocar numa outra vasilha fechada. Outra coisa interessante é que no pacote de carne, frango, salada entre outras coisas vem um “papelzinho” por baixo do alimento, não sei para que serve, só sei no queijo que é pra um não grudar no outro. Hoje foi o primeiro dia de academia do Jr e ele descobriu que não é o mês inteiro de personal grátis são só dois dias. O cara falou errado (ou a gente entendeu errado??)…  Quando eu olho tudo que temos aqui, por pouca coisa que seja lembro de cada pessoa que ajudou. Sem esses presentes estaria sendo muito mais difícil e teríamos menos coisas ainda! Por isso, obrigada a todos que estão fazendo parte desse sonho. Como recompensa, vou atualizando o blog com notícias e curiosidades daqui. :)

Final de semana.

Na sexta de tarde o Jr tinha uma prova de inglês que a gente só veio lembrar quinta-feira de noite, mas pelo menos lembramos. hahaha Quando acordamos fomos tentar fazer o almoço e só tinha sal pra temperar a carne. Foi o jeito. kkkk Fiz um arroz que ficou meio mole, mas até que dá pra comer sem achar muito ruim. O outro acompanhamento  foi um macarrão. Achei a manteiga, a cebola e o alho pouco, parece que não deu gosto, por isso acrescentei cebola e pimentão. hahaha A carne ficou por conta do Jr grelhar, então ficou do jeito que ele gosta: torrada! Pra ser o primeiro almoço até que não ficou tão ruim. Deu pra comer e o Jr ainda repetiu o macarrão. No outro dia eu queria fazer frango , mas não tinha nada pra fazer o tempero então fiz o mesmo cardápio do dia anterior mudando o macarrão por uma saladinha que o Jr amou. Peguei a receita num blog e saiu boa. :p De tarde fomos trocar a bike do Jr porque ele disse que a primeira que tinha comprado não andava. Antes de irmos olhei uma lista básica de supermercado de tempero pra poder comprar algo pra gente. Agora sim estamos prontos para começarmos uma dieta e nos tornarmos chefs de cozinha. kkkk To exagerando, quero fazer uma comida que fique pelo menos boa… De noite fui arrumar as compras, lavar algumas coisas e colocar a roupa pra lavar (aqui a roupa fica com um cheiro muuuuito bom!!!). Compramos uma mesinha pro Jr estudar e ele foi montar. Depois jantamos aqui em casa mesmo, morrendo de felicidade, mesmo estando em casa num sábado a noite, véspera do dia dos pais e longe de todo mundo. Hoje estive ausente pela primeira vez do tradicional almoço do dias dos pais na minha família, mas acho que todo mundo estava feliz porque eu estava aqui realizando nossos sonhos. Hoje é o dia dos pais e não podia deixar de fazer um recadinho pro meu pai querido. Todo ano escrevo um bilhetinho e deixo na cabeceira, mas esse ano está sendo muito diferente. Pai, tu sabe o quanto eu te amo e o quanto eu te admiro. Estou sentindo muita saudade, por isso tira logo esse passaporte e visto e vem me ver. Obrigada por tudo. Te amo!

Dia produtivo.

Hoje o Jr está matriculado efetivamente. Passamos a manhã de ontem na área de matemática para ele resolver e assinar vários papéis que estavam esperando por ele. Ele ainda voltou com alguns, mas que logo logo deixaremos cada um em seu devido lugar. Já fomos na ‘casa’ de apoio ao estudante internacional entregar o requerimento pro SSN (como se fosse o CPF no Brasil). Só ele pode tirar por enquanto. Só posso ter o meu quando estiver estudando ou trabalhando. Fomos à lojinha da universidade e as pessoas por aqui são sempre simpáticas. A caixa de lá perguntou em inglês como estávamos, o que viemos fazer aqui, se eu tinha planos de estudar ou trabalhar, entre outras coisas, no final ela perguntou da onde a gente era e quando falamos Brasil ela falou: ah, vocês são brasileiros? Sou de SP! Coincidência, hein? Ela ainda disse que se quisermos ela pode levar a gente pro supermercado ou ir ao cinema, mas eu fico com vergonha. :) Estávamos marcados no banco às 14h e antes disso conseguimos chegar lá! Olha aí a pontualidade dos americanos fazendo efeito sob os brasileiros atrasadinhos. hehehe Apesar de achar um pouco demorado para abrir a conta tenho certeza que demorou menos do que quando fui abrir uma conta no Banco do Brasil e menos burocrático também. Agora temos uma conta conjunta no Bank of America. Já saímos de lá com um cartão de débito provisório ( o outro chega daqui 5 a 7 dias úteis). Para conseguir um cartão de crédito é necessário um requerimento solicitando ao banco o tal cartão. Eles podem negar, mas a pessoa que atendeu a gente disse que como o Jr é estudante da WUSTL e receberá uma bolsa todo mês, eles irão aceitar (sempre aceitam de estudantes de lá). Não gosto muito de usar cartão (herança da mamãe) e quando uso prefiro que seja débito, mas aqui é importante ter um cartão de crédito porque só pagando as contas do cartão em dia conseguiremos crédito para comprar alguma coisa que precise ser financiada. Eles só financiam uma certa quantia e depende do crédito que você tem. Mas isso não significa que estamos querendo comprar algo agora, só estamos pensando no futuro. Finalmente o Jr terminou de montar a mobília com seis gavetas, mas não coube tudo meu na minha parte então estou esperando ele arrumar as coisas dele pra ver se sobra espaço. hahaha Homem é mais prático e as roupas ocupam menos espaço porque não tem babados, dobras, pregas, né? hahaha  Se não sobrar vou deixar as roupas de frio na mala mesmo, porque ainda não vou usar. Aqui até que tem umas estantes dentro dos closets e até já limpei, mas achei feio e nojento, porquê são pintadas com tinta de parede mesmo, então não tô querendo colocar nada nelas. Compramos poucos cabides também, mas com o tempo tudo vai tomando seu devido lugar. Jogamos o lixo que estava na sala fora e o Jr já começou a arrumar a estante de livros. Ele tirou as fotos que trouxe da mala e vimos as dedicatórias e um recadinho que minha sogra escreveu. Adorei! Aos poucos a casa vai ficando com cara de casa. Hoje de manhã não temos nenhum compromisso, então hoje sai o nosso primeiro almoço feito em casa. O Jr quer um assado de panela americano (totalmente diferente do brasileiro), vamos ver se sai e como sai. De tarde vamos à casa de apoio ao estudante internacional de novo pegar o SSN do Jr e depois vamos a uma feirinha que tem toda quinta, sexta e sábado aqui pertinho para ver se encontramos frutas e verduras por um preço melhor/menor. Ficando mais tempo em casa percebemos que faltou comprar uma coisinha aqui outra ali, por isso estou anotando tudo que tá faltando para uma próxima vez não esquecer. Por aqui existem uns cupons que dão desconto no supermercado, mas ainda não sei como funciona. Espero que da próxima vez que eu for fazer compras já aproveite os cupons. Hoje lavamos roupa pela primeira vez em casa!! Custa um dólar pra lavar e setenta e cinco centavos para secar mas só podemos colocar moedas de $0,25, então nem lavamos tudo porque separamos por cor e não tínhamos moedas de 0,25 suficiente para outra ‘lavada’ e ‘secada’. Não sei se comprei um sabão bom, mas as roupas ficaram bem cheirosinhas mesmo sem amaciante (esquecemos de comprar! :P) e apesar das roupas não sairem muito amassadas acho que vamos comprar um ferro e uma tábua porque eu gosto de uma roupa bem passadinha (aprendi a dar valor e a passar roupa trabalhando com a Rita!). Amanhã vou tentar trocar as moedas que temos pelas (é certo falar pelas?) de 0,25 para podermos dar continuação. hahaha Ah, nem conto pra vocês! Eu não disse que pra acender o forno é uma novela? Que primeiro acendemos só uma chamazinha e depois ele acende todo? Pois é, a gente achou que tivesse desligado o forno, mas hoje quando fomos usá-lo de novo lá estava a pequena chama acesa. Apagamos só o resto. Eu não sei se a chama é pra ficar acesa ou não, mas como vamos pagar o gás decidimos apagar a chamazinha também e toda vez que formos usar o forno termos (o Jr, melhor dizendo) o maior trabalhão. Melhor do que se endividar, hein? hahahaha Ai como eu queria uma fada aqui agora pra dar um jeito nessa casa, mas como não tem eu mesma vou dar um jeito nisso aqui. kkkkk Boa sorte pra gente!