Final de semana ‘badalado’.

O jantar na casa do professor estava marcado para às 19h de sábado. Já sabíamos da tão falada pontualidade americana e por isso nos programamos para chegar no horário. Fomos mais cedo ao supermercado (achei creme de leite!!!!!!!!!!) e como sempre pedimos um táxi ao final. Mas quem disse que ele chegava? Depois de duas ligações reclamando do tempo e 50 minutos passados o táxi chegou! Enfim, chegamos em cima da hora e nem deu tempo o Jr ajeitar meu cabelo como havíamos planejado (ele sabe fazer trança, hahaha). Chegamos lá depois um pouquinho depois das 19h e praticamente todo mundo já estava. Abrimos a porta e apareceu uma senhora (não tão senhora assim…) que foi logo se apresentando, era a mulher do professor dono da casa. Como eles tinham pedido confirmação das presenças fizeram um adesivo-crachá com o nome das pessoas que confirmaram. Ela mostrou onde era que estavam e pediu pra colocarmos (todo mundo estava com essa identificação, inclusive ela). Enquanto o Jr procurava nossos nomes ela foi me dizendo que as cervejas estavam no porão, o vinho e outras bebidas alcólicas na cozinha, os refrigerantes na parte de trás da casa e o jantar na sala. Quando Jr achou meu crachá adivinhem como estava escrito? Carolina da Silva. Meu nome não tem da Silva, mas o dele tem e como ele falou que éramos casados eles colocaram o mesmo sobrenome (aqui as esposas são chamadas pelos sobrenomes dos maridos). Detalhe que no crachá do Jr não tinha Silva. Enfim, entramos, cumprimentamos quem estava ali pela porta e fomos procurar um lugar para nos ‘instalarmos’. Aí começam as diferenças: não tinha mesa nem cadeiras a mais, só espalharam as que ficam na mesa de jantar e pronto. Todo mundo estava em pé. O ‘jantar’ era salada, biscoitinhos de gergelim com patê, uma tábua de queijos, frutas, pão e outra coisa que não consegui identificar que parecia um caldo, sopa, não sei… As pessoas comiam em pé, usando pratos e talheres descartáveis bebendo na própria latinha do refrigerante ou em copos descartáveis. Querem mais praticidade que isso? A mesa de sobremesas tinha brownies individuais (enfim comi um brownie americano e…não tem castanha!!!) e tortinhas de limão. O enfeite do brownie era uma framboesa, comi e achei o gosto igual acerola, pensei que fosse mais gostosa. Um grupinho de colegas do Jr se aproximou, tentou bater um papo, mas parece que a coisa não fluia. O romeno era engraçado e gente boa, mas mesmo assim não vinha conversa, foi todo mundo se dispersando e ficamos sozinhos. O estilo da casa dele é muito diferente da brasileira, parecia que eles adoravam relógios porque tinham uns bem bonitos espalhados pela casa. Passado um tempinho o anfitrião foi apresentar os novos estudantes de mestrado e doutorado. Ele esqueceu de falar alguns nomes, inclusive do Jr, perguntou quem tinha esquecido de apresentar e todo mundo menos o Jr levantou o braço (ficou com vergonha, pra variar hehehe). Em seguida os professores e assistentes novatos no departamento foram apresentados. Ao término das apresentações ele perguntou de novo se tinha esquecido alguém, aí o menino que estava do lado da gente olhou pro Jr e disse: “você não foi chamado né? Prof, você esqueceu ele!” O professor sorriu, me apresentou primeiro e disse que o Jr tinha muitos nomes! hahaha Ele também falava de qual universidade a pessoa estava vindo, agora imaginem como ele falou o nome do nosso estado: Piááui. Foi engraçado. Logo depois das apresentações muitas pessoas foram embora, mas o professor brasileiro começou a conversar com a gente e quando nos espantamos a esposa do anfitrião tinha diminuido a intensidade da luz, ou seja, era hora de ir embora. Isso não foi feito de uma forma rude e a mulher não era chata, são apenas costumes diferentes. Um professor novato (e novinho) viu o crachá do Jr, disse que já tinha visto o nome dele na lista de alunos e veio nos cumprimentar. A mulher dele lembrou que me viu esperando o Jr um dia na universidade e disse que minha saia (pra variar Rita Prado :)) era muito linda! No Brasil geralmente só as amigas elogiam, já prestaram atenção?! Parece que desse lado do mundo eles não têm vergonha de admitir quando gostam de algo, acho que o nome disso é sinceridade e espontaneidade. Na saída ainda tinha uma rodinha de professores e eles perguntaram pro nosso compatriota se tínhamos conversado muito português. Fiquei curiosa e perguntei se sempre apareciam brasileiros por aqui, pra minha surpresa o professor respondeu que o Jr é o primeiro na matemática que ele tem notícia desde quando chegou na universidade (que foi em 1993). Então ele não tem praticado muito o idioma, imaginem o sotaque americano quando ele fala. hahaha Gentilmente ele nos ofereceu uma carona e era impossível recusar, né?! Batemos um bom papo até chegar em casa. Foi uma experiência muito diferente mas muito legal também. Também fizemos 3 meses de casados, mas o jantar de comemoração ficou pra outro dia. Ontem Jr acordou mais cedo pra ir à Igreja mas se perdeu no caminho e voltou pra casa mesmo. Eu tinha ficado em casa preparando nosso almoço legal de domingo. Fiz purê que eu prefiro do que o arroz, um polpettone e banana empanada (porque aqui não tem banana da terra pra fritar…). Jr amou!!! Disse que foi o melhor que eu já fiz. Depois fomos ao tal churrasco da universidade. Fomos pontuais e quando chegamos estava exposta uma mesa com hamburguers ( um ao molho barbecue e um vegetariano), salsichas, pães, salada, milho verde (era diferente, estava cru, temperado com sal, pimenta, cheiro-verde e alguma coisa doce que não consegui identificar), uma massa e alguns molhos. Ao lado, os refrigerantes e a cerveja. Não tinha ninguém que trabalhava na universidade, as únicas pessoas que estavam lá além dos alunos eram da equipe que estava servindo a comida (terceirizado). Só vimos um menino da turma do Jr e acho que ele não nos viu. Todo mundo sentou no chão, quem já se conhecia começou a interagir e pronto. Disseram que ia ter jogos mas não vimos. Na verdade era só um lanche de graça para os novatos. Tinha um menino com a camisa do Brasil, mas ele não tinha cara de brasileiro. :p Jr tava doido pra assistir um filme e fomos ao cinema depois. Tinha 6 salas e a nossa era bem pequena, acho que era pra umas 100 pessoas apenas. Fui inventar de comprar pipoca mas me arrependi. Não pelo gosto, pois estava ótima, mas sim pelo preço! Estou começando a achar as coisas caras daqui. hahaha Adorei nosso final de semana de experiências diferentes.

P.s.: Na foto abaixo quero mostrar os dois relógios que achei lindos. Detalhe pro carpete na sala, no Brasil não temos isso né?

Anúncios

7 pensamentos sobre “Final de semana ‘badalado’.

  1. Nossa, é tudo mesmo muiitoooo diferente. Jantar e churrasco mudarsm totalmente de conceito. Detalhe para como a esposa anfitriã foi sutil. Embora eu, sem costume algum, fosse achar esquisito kkkkkkkk.
    Achei lindo o Silva no teu nome kkkkkkkkkk te chamam de “Carolaine” ou pronunciam tudo direitinho?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s