Cartão clonado de novo!

Uma vez meu cartão do banco americano já foi clonado e eu contei aqui no blog. Na ocasião eu achei que tinha perdido e alguém tinha pego, mas depois achei e fiquei pensando que poderiam ter pego os dados dele quando fiz alguma compra na internet. Quando tentaram comprar usando-o, o banco americano imediatamente bloqueou e mandou um email avisando de que tínhamos que entrar em contato. O dinheiro nem chegou a ser debitado, então não tivemos problemas pra receber de volta, além disso  mandaram outro cartão em uma semana. Semana passada fui conferir o extrato do cartão do Brasil e quando vi uma compra no valor de 410 dólares, fiquei surpresa! Oxe, Jr não comprou, eu muito menos tem algo errado. Olhei e e vi que a compra tinha sido feita numa farmácia em Nova Iorque e o Jr entrou em contato com o banco na mesma hora. Quando ele deu o número do cartão a atendente disse que tinham usado era o outro cartão, no caso o meu. Enfim, foi bloquedo na mesma hora mas chegou a ser debitado sim e pra receber o dinheiro de volta o Jr teve que escrever e assinar uma carta/documento afirmando que não fez aquela compra. Jurava que ia demorar um mês pra receber de volta, sabe como é no Brasil, né?! Mas eis que essa semana já estava em nossa conta. Palmas para a eficiência bancária (dessa vez). :D Agora o que me mais intrigou foi que esse cartão nós não podemos usar na internet, ou seja, clonaram aqui em alguma loja/restaurante e isso é mais comum do que a gente imagina. Mês passado um supermercado grande aqui tava tendo esse problema, “hackearam” o sistema da loja e todo cliente que usava cartão de crédito lá teve problema. O pior disso tudo é que eu nem sei como me “proteger”, porquê na internet é só você não usar mais mas e quando é num espaço físico??

Americanos e sua sinceridade

Eu acho que nós brasileiros muita vezes não gostamos de algo, mas só pra agradar quem fez a comida, por exemplo, acaba dizendo que gostou. No começo achei a sinceridade americana demais, na verdade ainda acho. Acho que eles não tem aquela dúvida: será que ela falou só pra agradar? Porquê todo mundo é SUPER sincero, às vezes pra coisa boa e às vezes não. Vamos aos exemplos, haha.

– Comprei uma calça listrada e toda vez que uso alguém me elogia, já foi na aula, no supermercado, no shopping, mas sempre tem alguém que nem me conhece pra dizer que gostou.

– Jr tem um colega americano gay que vive com um cara mais velho, aí outro colega americano vira pra ele e pergunta: mas porquê você escolheu um velho???? Claro que nessa hora o Jr fica com o sentimento de vergonha alheia, pois ele tem vergonha até na hora que não é pra ter. O amigo gay nem se importou… americano também, né?! Então…

– Vou lá no Mc Donald’s e o caixa (que está do outro lado do “balcão”) diz que gostou do meu perfume, e eu: hein?? Ele repetiu e disse o cheiro realmente era bom. Ok, obrigada (fiquei tímida :p).

– Esses dias o orientador do Jr trouxe uma professora convidada pra palestrar na universidade e depois foram jantar. Como só o Jr e o outro aluno tinham confirmado presença no jantar o professor falou com a universidade para liberar o dinheiro para apenas cinco pessoas, mas aí a mulher dele  foi com as crianças, além da a esposa do outro professor e o parceiro do amigo do Jr também, ou seja, mais de cinco pessoas. Na hora da conta o orientador tava falando pra mulher dele pagar a parte dela, que ele só tinha dinheiro pra cinco pessoas e que ela, as crianças e o parceiro do aluno dele não estavam programados. Jr disse que ficou constrangido, falando de dinheiro e discutindo a conta de uma maneira não muito agradável na frente da convidada. Ainda bem que não fui, senão ia ficar com vergonha também. :D

– Outro dia um menino negro que estuda comigo pintou apenas uma parte da frente do cabelo de loiro. Na hora que ele entrou o professor parou a aula, disse que tava feio e pra ele ajeitar. hahaha Na hora do intervalo ainda perguntou o motivo dele ter pintado e disse pra ele ter cuidado pra não deixar transparecer que ele era uma coisa sem ser (no caso, gay).

Só eu achei essas coisas um pouco sinceras demais? Sou “fina” como dizem no Piauí? kkkkk Falei com o americano amigo nosso e ele disse que americano não fica com vergonha a não ser que seja uma cosa beeeeeeeeeeeeeeeeeeeem cabeluda.

 

P.s.: Às vezes deixo de postar porquê só escrevo post grande (um assunto pode não render tanto ou apenas a minha preguiça não deixa kkkk), vocês acham melhor fazer post pequeno sempre ou deixar pra fazer só um grande mesmo?