“Brabeza” define.

Na segunda feira eu tinha um milhão e meio de coisas pra resolver. Sério! Há tempos não tinha tanta coisa pra fazer no mesmo dia e com prazo! Aí que quando pego o carro pra sair uma luzinha acende no painel. Uma luzinha laranja. E uma luzinha laranja significa que algo não está legal e precisa ser ajeitado, ou seja, manutenção. Aí eu penso: porque logo hoje? Porque não ontem que foi domingo e eu tinha todo o tempo do mundo pra resolver????  Fui em um lugar mais perto de casa mas tinha que ir em um mais longe também, só que tava com medo e resolvi voltar pra casa e pesquisar o que significava aquela luzinha no painel do carro. Chegando em casa, descobri que era apenas avisando que os pneus estavam precisando ser calibrados. Ufa!!! Eu nunca tive carro que indicasse isso, era o carinha do posto que falava. hahaha Depois lembrei de uma vez que aluguei um carro e quando fui devolver apareceu o mesmo símbolo, mas tinha escrito “low tires”, mas eu era recém – chegada e não sabia o que significava. Resultado: devolvi o carro e deixei o abacaxi pro outro. hahahaha (muito feio, eu sei). Sim, voltando ao meu carro… fomos ao posto pertinho de casa e a maquininha de lá dizia que aceitava moedas ou cartão pra poder usá-la. Moeda, vocês já sabem a dificuldade né? E o cartão quem disse que aceitaram?? A máquina estava com problema. Ok, trocamos moedas e voltamos.  A pressão recomendada pro pneu do nosso carro é 30, mas só aparecia 32 na maquininha… Jr encheu mesmo assim, mas ficou MUITO MUITO MUITO cheio. Sorte que tinha um carinha esperando pra usar a máquina e o Jr perguntou pra ele porque a máquina não ia pro 30. Ele falou que o mínimo dessa era 32, aí ensinou o Jr a “esvaziar” o pneu com uma moeda e emprestou um barômetro pro Jr deixar na medida que era indicada. A braba aqui não sabia nem da luzinha no painel pra esse tipo de coisa nem do barômetro pra auxiliar… Vivendo e aprendendo. :D

Anúncios

Aí que um dia desses a gente tava no shopping e resolvemos lanchar naqueles fast food de comida italiana, com o pedido vem também um pãozinho de alho (que não é igual ao brasileiro mas também é bom). Sentamos e lanchamos, quando o Jr acabou disse que tava com vontade de mais um pãozinho aí foi lá pra comprar. Ele volta e diz:

Jr: Ela me deu o pão!

Eu: como assim te deu??

Jr: Foi! Ela disse que era só um dólar, não precisava pagar não.

Outro dia fomos a um restaurante (também italiano, por sinal) e eu pedi meu refrigerante de sempre e o Jr o suco, quando vem a conta, cadê o refri? De outras vezes aconteceu a mesma coisa! Só pagamos quando pedimos só um refrigerante e nenhuma outra bebida. Estranho, mas legal né?

Ontem fomos ao Starbucks (pelo drive thru mesmo pra ser mais rápido) e fiz o pedido. Quando fomos receber a senhorinha (de nome Mary Kay, achei muuuito engraçado hahahaha) disse que queria se desfazer de um croissant de chocolate e um bolinho de cranberry e perguntou se não queríamos. O Jr mal esperou ela terminar de falar e já foi aceitando. hahahaha

Além desses casos, tem vários restaurantes que oferecem uma entradinha “de graça”, geralmente é pãozinho com manteiga mas já fui em restaurante mexicano que era nachos (é tipo doritos). Podemos comer a vontade e eles não cobram a mais por isso, aliás sempre perguntam se queremos mais. Não sei se essas gentilezas (é esse o nome certo?) só acontecem aqui, mas que fazem um bem danado ao cliente, ah, fazem!

Dirigindo um caminhão e mudando pra um depósito!

Bom, como antecipei no post anterior fizemos uma mudança para um depósito. Nosso contrato de aluguel terminaria um mês antes de viajarmos, aí começamos a pensar em fazer a mudança um mês antes de ir pro Brasil. Porém, não queríamos pagar dois meses de aluguel sem nem estar aqui. Iniciamos a procura por apartamentos mas o que mais nos agradou não tinha mais disponível para a data que queríamos, aí fomos desanimando… Conversando com um casal amigo eles deram a ideia de deixar nossas coisas num self storage, ou seja, um depósito que você que administra. Americano gosta de cacareco né?! Deve ser por isso que tem esses depósitos. :P É como se fosse um quarto e você coloca as coisas lá dentro, enquanto couber, pode jogar. Tem de todo tamanho, desde uns do tamanho de um banheiro até outros do tamanho de uma sala. Inicialmente queríamos deixar nosso carro com alguém, para que toda semana desse pelo menos uma voltinha nele (por causa da bateria), mas a gente ainda não tá nesse nível de amizade com ninguém e também poderia ser que atrapalhasse. Tudo que não queremos é incomodar, então o jeito foi reservar um depósito que coubesse nossas coisas E o carro. A mudança só poderia ser feita um dia antes da gente viajar, porquê não dá pra alugar caminhão duas vezes. Aqui é muito comum a própria pessoa fazer sua mudança, eles até “oferecem” mão de obra para ajudar a gente, mas a preço de ouro. :p Preferimos um depósito que fosse no térreo, que pudéssemos parar bem na porta e descarregar e olha, foi muito melhor assim. Imagina ter que carregar uma estante pesada por corredores, a dificuldade pra caber no elevador, além do carro que não ia subir de elevador né?! hahaha Pra contratar o caminhão só precisou mesmo dos meus dados e minha carteira de motorista americana. Muita gente me perguntou: e tu pode dirigir caminhão com a carteira que tu tem? Não, não posso, mas pra esse caso é permitido. É claro que era automático, mas mesmo assim eu ainda apanhei. Como era que mudava o câmbio neste negócio? E o freio de mão? Tava com vergonha de perguntar aí me toquei que o freio de mão era o igual o carro do papai (puxando com a mão) e o câmbio igual ao carro da mamãe (na direção). Aí fui! Morrendo de medo de ficar entalada embaixo de um viaduto porquê não tinha muita noção da altura. Além da falta de noção de espaço e sem o retrovisor do meio, o que fica dentro (apesar de ter dois de cada lado). Chegando no depósito a pessoa que atendeu a gente olhou para as coisas que tínhamos e pro tamanho do “quarto” que tínhamos alugado e disse que achava que era muito grande pra acomodar o que tínhamos, mas aí dissemos que  ainda vinha o carro. A gente não leu o contrato direito, todo mundo apressado (pra variar) e aí fomos devolver o caminhão. Quando chegamos lá eles foram fazer a vistoria do veículo, se estava tudo certinho. A gasolina não estava do mesmo tanto que tava quando recebemos (óbvio) e tínhamos que devolver do mesmo jeito. O cara que tava conferindo disse: “olha, se vocês devolverem assim terei que cobrar uma multa de 47 dólares. Ao que a gente disse: Tá certo.” Na verdade a gente não entendeu direito o motivo de pagar a multa, mas se era o jeito né? Foi quando ele falou de novo: Não é obrigado vocês devolverem assim, tem um posto ali na outra esquina, é só colocar 5 dólares de gasolina que o ponteiro volta pro lugar que tava e aí não cobro multa nenhuma.” É claro que corremos pro posto! Achei muito legal a atitude dele e de ter esperado a gente ir ao posto sendo que já estávamos devolvendo atrasado. O pagamento do depósito era débito automático então ficamos despreocupados quanto a isso no Brasil. Nossa única preocupação era: o carro não vai pegar, ficou parado dois meses, como vamos fazer sem conhecer mecânico???? Vocês precisavam ver nossa cara e expectativa quando fomos pegar o carro. Ninguém queria ligar o carro. Um dizendo pro outro: nem criei expectativa do carro pegar, já sei que não vai ligar mesmo… Pra nossa surpresa, quando rodei a chave o carro pegou. Pense na felicidade!!! No Brasil já tinha dito pra gente que era só fazer uma “chupeta” que o carro pegava, ok! Mas como falar isso em inglês? kkkkk O importante é que deu certo!! Na última noite no apartamento antigo, portanto antes de ir pro Brasil, dormimos no colchão inflável e quando chegamos de volta passamos a noite num hotel. Foi pesado e cansativo, mas valeu a pena! Tanto pro nosso bolso quanto pra nossa experiência de vida. :) Agora temos uma cozinha maior e um apartamento com dois quartos por 150 dólares a menos no aluguel. Ou seja, prontinhos pra receber visitas! Cadê vocês? hahahaha

Tirando a poeira

Há tempos não escrevo. Fomos para o Brasil e passamos dois meses por lá. Esse talvez seja o único verão que poderemos aproveitar por completo, nos outros anos talvez o Jr precise ficar aqui e tenha menos dias de descanso. Os dias que antecederam nossa ida foram bastante corridos. Jr viajou pra um congresso e quando voltou tivemos que fazer nossa mudança para um depósito. Isso porque não queríamos pagar dois meses de aluguel (caro) sem usufruirmos. E como se faz a mudança num país que mão de obra é coisa de milionário? Colocando a mão na massa! Alugamos um caminhãozinho e reservamos um “quarto” do depósito que coubesse inclusive o carro. Num outro post falo sobre essa nossa aventura. Esses dois meses no Brasil foram muuuuito intensos! Acordava cedo praticamente todos os dias e só parava de noitão mesmo. Minha irmã falava: “Menina, deixa de ser agoniada! Acaba de acordar e já quer ir pra rua.” kkkk Era assim mesmo. Que fosse pra fazer qualquer coisa, mas ficar em casa não dava né?! Ajudei a mamãe no trabalho, fui motorista da vovó (desde sempre – para sempre), ajudei a organizar meu aniversário, fui “enfermeira” do vovô, até dei plantão no hospital (rezando para que nada acontecesse logo no MEU plantão hahaha)! Infelizmente, meu avô não resistiu e foi descansar em paz. No dia seguinte já parti pra outra, minha tia tinha uma encomenda de docinhos de casamento para entregar no final da semana, então lá se foi a Carol dar uma de doceira também, né tia Lu?! Inclusive, éramos convidadas do casamento também. Fui e fiquei até as 5 da manhã de tão bom que tava (queria ficar mais, mas os dias anteriores e os seguintes foram/seriam cansativos). Detalhe: aconteceu um dia antes da minha volta. Mas aí como a gente gosta de aproveitar e meu vôo só era de noite, minha irmã sugeriu um churrasquinho (#botaforadacarol) de despedida só para a família. E é lógico que minha mala só ficou pronta às 20h, depois que terminou o churrasco. Ainda tive a ajuda de um casal amigo (Giesse e João) que foram lá em casa se despedir. Descansei uma hora e meia antes de voo e embarcamos de volta! Aqui o dia seguinte seria cansativo também, mudança depósito – apartamento novo (isso inclui dirigir um caminhão de novo, dessa vez maior), aula do Jr, pegar a chave do apartamento novo e outros assuntos pendentes. De noite estavámos cansadééérrimos e agora estou aos poucos tirando a poeira de tudo, inclusive aqui do blog. Só postei hoje, uma semana depois que cheguei, porquê só tivemos internet instalada hoje. Vou colocar algumas fotos do meu verão. Agora, é o fall de novo. Simbora!

Dirigindo o caminhão pela primeira vez!

Dirigindo o caminhão pela primeira vez!

Com minha prima Natália levando o carrinho de churros pro aniversário!!

Com minha prima Natália levando o carrinho de churros pro aniversário!!

Eu e meu irmão no nosso aniversário, na árvore de algodão doce!!

Eu e meu irmão no nosso aniversário, na árvore de algodão doce!!

 

Árvore de maçã do amor no meu aniversário.

Árvore de maçã do amor no meu aniversário e do meu irmão! 

Com o vovô (que agora está no céu), vovó e mamãe.

Com o vovô (que agora está no céu), vovó e mamãe.

Na casa do meu cunhadinho Dênio no horário de almoço do hospital.

Na casa do meu cunhadinho Dênio no horário de almoço do hospital.

 

Ajudando com os docinhos.

Ajudando com os docinhos.

Meu marido lindooo no casamento.

Meu marido lindooo no casamento.

Jr na "garupa" do caminhão. hahaha

Jr na “garupa” do caminhão. hahaha

 

 

P.s.: As fotos estão salvas viradas, mas não sei porque que quando eu jogo aqui elas ficam assim. :(