Domingo.

Domingo é o dia que dá mais saudade de casa.

Domingo era dia de acordar só na hora de ir almoçar.

De ficar na dúvida em qual restaurante ir e muitas vezes ter amigos do papai ou parte da família compartilhando o momento.

Nosso almoço aos domingos era mais tarde que nos outros dias e sempre com muita comida.

Na maioria das vezes, a gente comia tanto que de noite nem jantava (ou não tinha fome), mas várias vezes encerrávamos a noite de domingo numa pizzaria.

Saudade até daquele vento quente quando saíamos do restaurante.

De ir tomar sorvete de maracaujá com calda de morango de sobremesa.

De ir deixar a vovó em casa depois do nosso tradicional almoço.

Alguns domingos também eram de fazer visitas com a mamãe.

Saudade de chegar em casa tarde no domingo e ela ter acordado porque foi dormir cedo, ficávamos conversando até mais tarde…

De fazer pipoca e tomar coca-cola juntas.

Pra muita gente domingo é um dia triste, mas pra mim sempre foi o preferido.

Atualmente domingo é dia de saudade.

Meu consolo é que os próximos quatro domingos vou ter a mamãe aqui e nos dois últimos uma prima muito querida também.

Estou em countdown.