Turismo em St Louis

Resolvi fazer um post sobre isso logo porque tive dificuldades em encontrar relatos de turismo aqui em St Louis na internet. Só achei de site de viagens, wikipedia, essas coisas impessoais.

Bom, o Gateway Arch é o monumento mais famoso daqui. Fica no centro da cidade e dá para subir até o topo. Entramos num elevador meio cápsula (claustrofóbico não pode ir, porque é muuuuito apertadinho). Sem falar que por causa da forma da construção ele vai balançando no percurso. Lá em cima tem umas janelinhas e você fica admirando a vista. É legal, mas é rápido, não tem muito o que fazer sabe? Mas lá embaixo na entrada tem um museu e um cineminha e você pode assistir documentários relacionados ao arco. É claro que tem a lojinha de souvenir também. O parque onde o arco fica é bem legal e se não tiver tão frio dá pra fazer uma caminhada que é bem relaxante. Dentro do mesmo parque também fica a Catedral antiga, vale dar uma entradinha.

Aproveitando que já tá no Centro da cidade e é praticamente em frente ao monumento mais famoso de St Louis vá conhecer a Old Courthouse. É um prédio histórico bem bonito. Amo a cúpula de lá!

Se você é daqueles que gosta de conhecer os restaurantes típicos e provar as comidas locais uma boa pedida é ir comer a costelinha de porco do Pappy’s Smokehouse. Chegamos lá 13h e tivemos que enfrentar uma fila imensa!! Já saiu até no programa Man vs food.

Se você vem com criança ou é uma criança por dentro ainda no centro da cidade tem o City Museum. É um museu diferente, super interativo. É uma mistura de playground com museu, dá pra escalar algumas “obras”, escorregar, pintar e jogar em várias exibições. O bom é que fica aberto até a meia-noite e se você for de noite ainda paga mais barato!! Bem pertinho fica o City Garden, várias praças com várias esculturas e fontes e que os americanos adoram (eu não vejo muita graça).

A Cathedral Basilica é outro ponto que vale a pena ser visitado! Remete às igrejas antigas da Europa e tem várias pinturas e mosaicos de deixar qualquer um boquiaberto. O bom é que pode tirar fotos! Se naão for na hora da missa, claro. A mamãe adorou o lugar! Todos os domingos íamos à missa lá.  Fica num bairro bem gostoso, chamado Central West End e tem vários lugares bons pra comer por perto.

Meu lugar favorito em St Louis chama-se Forest Park. É de uma imensidão que é impossível conhecer tudo de uma única vez. Dentro dele tem campo de futebol americano, quadra de tênis, dois museus, restaurantes, pedalinho e um lago. É o lugar que mais gosto de ir, onde tiro as fotos mais bonitas (e onde já peguei uma multa também) e é bem relaxante. Se não tiver muito frio é muito bom dar uma caminhadinha, passar por entre as árvores e lugares em que a água do lago atravessa nosso caminho. É um contato muito bom com a natureza. Lá já visitei o Museu de Arte (que é grátis) e falta o Museu de História.

O Jardim Botânico também vale muuuuito a pena ser visitado (sábado até meio dia é grátis para quem mora aqui), principalmente na primavera. Levei a mamãe e minha prima no final do outono e mesmo assim gostaram (menos do frio, claro). O jardim japonês e o árabe são meus preferidos. Lá dentro tem também a casa de Tower Grove, que foi quem criou o jardim e posteriormente deu nome ao bairro. Também é tão grande que nem sei quem consegue caminhar tudo aquilo em uma só vez. E pertinho de lá tem uma patisseria bem charmosa chamada La Chouquette com lanchinhos interessantes.

Eu sempre levo quem vem me visitar pra conhecer a Washington University in St Louis, porque é onde o Jr estuda e é bem diferente das universidades do Brasil. Prefiro ir num horário que não tem muito aluno e vários prédios ficam fechados, mas se for em dia normal dá pra conhecer tudo e morrer de vontade de estudar lá. A entrada parece de um castelo e tem vários salões dignos de rei mesmo.

Tem também a cervejaria Budweiser que nunca fiz porque não bebo e aí fico com vergonha de ir e não provar o que eles oferecem. hahahaha Mas quem faz o passeio pago diz que é muito bom, porém o grátis é sem graça. Quem for, me conta.

Outros dois restaurantes famosos e a cara de St Louis são Blueberry Hill e Pastaria. O primeiro fica pertinho da universidade, tem vários espaços e vive lotado! É comida americana e eles servem o menu de café da manhã o dia inteiro. Já o segundo é de comida italiana, fica no “bairro” nobre da cidade e é ótimo pra ir comer uma pizza assada em forno a lenha (coisa difícil por aqui) e pedir o crispy risotto balls de entrada.

O post ficou meio longo mas espero que ajude quem tem planos de vir pra cá. Essas são minhas dicas dos lugares mais legais e acho que não esqueci de nenhum lugar que vale a pena conhecer por aqui.

Anúncios

Voltei!

Minha temporada de um mês no Brasil foi maravilhosa. Agora voltei e estou com muita saudade. Chorei no aeroporto em Fortaleza, chorei em Brasília (porquê pensei: agora vai, tô saindo do Brasil), chorei em Miami (parecia que ainda tava no Brasil, porque lá né…enfim) mas abri um sorriso enoooorme quando cheguei aqui e vi quem tava me esperando. Jr teve que voltar 10 dias antes por causa do início das aulas e eu resolvi ficar mais um pouquinho. Ninguém sabia, dei a notícia durante a Ceia de Natal e acharam que eu ia dizer que tava grávida. kkkkk No vôo mais longo (BSB-MIA) sentei ao lado de um jovem casal de médicos e ficamos conversando a viagem inteira, adorei. Ficamos juntos até a hora deles embarcarem pra NYC. Depois que o Jr voltou aproveitei para ir ao litoral piauiense com meus pais e aproveitar mais deles dois mesmo. Estava tudo muito calmo e foi ótimo. Tomei banho de mar todos os dias com o papai e um dia a mamãe resolveu ir também. Há tempos não fazíamos isso juntos. Nem sou muito ligada à essa coisa de energias, mas acho que renovamos mesmo as nossas durante os dias que ficamos na praia.

Trouxe uma caixa com arroz (o daqui não é igual), feijão, leite Ninho (aqui tem mas é difícil pra achar e mais caro), Toddynho, flocão de arroz e milho (amo cuscuz), fécula pra fazer beiju, Nescau e outras coisas. No aeroporto de Brasília me chamaram no sistema de som porquê disseram que não conseguiram descobrir o que eu estava levando na caixa, então eles tinham que abrir. Quando cheguei em Miami, cadê a caixa?? Só achei minha mala. Depois pedi informações e achei-a. Na hora de reembarcar minha bagagem despachada fui encaminhada pra um outro raio-x que eles passam apenas quem acham suspeito. Eu estava tranquila porquê sabia que o que tinha nas minhas coisas não era nada proibido.

Na imigração foi super tranquilo. Entrei por Miami e o agente foi muito simpático. Sorridente e praticamente não fez perguntas.

Ontem eu ainda tava muito cansada dessa peregrinação por aeroportos, mas hoje já estou melhor e fiz beiju pro café da manhã e também preparei o almoço. Tenho que arrumar a casa e desfazer minhas malas (inclusive a do Jr, que ainda hoje ele nem mexeu). Aos poucos a bagunça que está aqui vai sumir (assim espero) e os posts voltarão normalmente. :)

4 meses de EUA!

Eu vi em algum dos blogs que visito que o primeiro mês morando fora é só alegria, é tudo novo, então é tudo muito empolgante. Não lembro bem o que falavam do 2º e do 3º e que o 4º era quando a saudade batia e você só queria voltar pra “casa”. Eis que ontem acordei com saudade de casa mesmo, querendo um cuscuz com toddynho pro café, os salgadinhos da mamãe e do vovô, o almoço em família no domingo, querendo até ouvir as músicas do pen drive do carro que eu já tinha enjoado. Queria ver o papai comendo pêra e a mamãe jantando torrada com coca zero; queria sentir o cheiro do perfume que dei pro meu irmão e do hidratante preferido da minha irmã. Queria o cheirinho de limpeza que minha casa tinha e o alvoroço dos cachorros quando eu chegava no carro do meu irmão e eles achavam que era ele. É, parece que entrei na “crise” dos 4 meses. Ou foi só um dia e já já passa? Não choro como antes, sinal de que já estou me acostumando a ficar longe.

Pra tentar me animar fui ao shopping e quando chego lá tá tocando Carpenters, que é a cara da mamãe e aí depois tocou outra música (que esqueci o nome) que é a cara do papai. Parece que o universo estava a favor da minha saudade. Pelo menos só faltam 19 dias pra viajar e ter tudo isso e muito mais todos os dias.

Mesmo depois de 4 meses aqui eu ainda sou muito desastrada no supermercado. Deixo o carrinho no meio da sessão e esqueço que tem outras pessoas querendo passar, pego sempre o carrinho menor achando que não preciso de muita coisa mas aí no final das contas eu tenho que organizar tudo porque coloquei coisa demais, me enrolo toda na hora de colocar as compras no carrinho de volta (depois de embaladas, porque não lembro como era a mágica que eu tinha feito pra caber tudo) e me atrapalho ainda mais na hora de transferí-las para o carro (o estacionamento não é totalmente plano e o carrinho fica andando). Conseguiram me imaginar com uma bolsa a tira colo (atrapalhando tudo) e mil sacolas do supermercado? Ah, e mesmo depois desse tempo aqui não aprendi a ser dona de casa. Será que ainda vai demorar? Quero logo saber. :p

Eu sei que só falo em comida, mas vocês não tem noção do que é ficar sem comer suas coisas preferidas. E como eu não podia comer nada disso que citei, fui me afogar num Big Mac, comprei brownie, kit kat e canudinhos de wafer recheado de creme de avelã. Calma! Lógico que não comi tudo de uma vez! Mas é pra matar de alguma forma a minha vontade (ao longo da semana) dos docinhos da tia Lu, do bolo da mamãe, das sobremesas do restaurante do meu tio… É pra ver também se a semana fica mais doce, eu fico menos saudosista e a semana passa mais rápido. Nunca fui ansiosa, mas esse sentimento começou a nascer em mim. Nem dormir direito eu consigo. Quem sou eu? hahaha Tenho certeza que esses 19 dias vão demorar mais que os 4 meses.

Last name: Saudade

First name: Anxiety

Happy Thanksgiving!

Eu sei, o Thanksgiving só é amanhã, mas estou adiantada porquê o feriadão já começou e a festinha de comemoração no curso de inglês foi ontem. Resolvi levar os pãezinhos de queijo para a confraternização, pois ainda tinha uma caixinha da massa semi-pronta na despensa, era fácil e rápido de fazer e eu adoro!! Acordei 20 minutos  mais cedo pra preparar e chegaram na aula ainda quentinhos (tão sentindo o cheiro? :P). Ainda pensei em fazer brigadeiro, mas não tinha granulado, pensei em enrolar no açúcar mas nem ia ficar com o mesmo gosto (essa foi minha desculpa mental para a preguiça de enrolar docinhos). Cada pessoa que chegava trazia um depósito enorme, numa sacola maior ainda e eu com uns 15 pãezinhos já estava ficando tímida. hahaha Todo mundo comeu um, mas a japonesa AMOU e fez questão de pegar um pra levar pro marido dela. Também me perguntou como eu fazia, eu disse que ela podia comprar a mistura no supermercado especial e ela ficou super animada! Coincidência ou não a massa é da Yoki, empresa criada por um imigrante japonês aí no Brasil. Conversamos sobre o de sempre no início da aula e chegada a hora do lanche todo mundo correu pra desembrulhar seu pacote. Tivemos várias coisas gostosas, um verdadeiro banquete. Vamos ao cardápio?

A russa levou frutas: maçãs, bananas e clementines. Clementine é uma mini-tangerina (menor que limão um pouquinho), nunca tinha visto no Brasil e nem achei tradução pra ela. A russa contou que as mães gostam de comprar para as crianças, é saudável, bonitinha e na medida certa da fome delas. Essas três frutas estavam especialmente deliciosas e já vou catar clementine no supermercado pra cá. hahahaha

A japonesa comprou e levou cupcakes. (Ela confessou que tentou fazer um brownie mas queimou. hahaha) Olha, o melhor que já comi na vida! Sério! Não sou muito fã, mas queria experimentar tudo que estava posto na mesa e não me arrependi. Quando fui perguntar onde ela tinha comprado ela respondeu que era numa loja perto daqui. A professora ouviu e comentou que ano passado teve uma competição entre os melhores cupcakes dos EUA e essa loja venceu. Ou seja, os melhores cupcakes estão aqui! Ponto pra minha cidade! :DDD

O chinês levou fatias de batatas doces cozidas. Elas eram alaranjadas e não da mesma que conhecemos aí no Brasil, apesar do sabor ser bem parecido e do outro tipo ser encontrado aqui também.

Já a coreana levou os refrigerantes, água e um saco de chips (como se fosse batata Ruffles, mas não era de batata) pretos orgânicos (não deu pra eu identificar o sabor) com um molho apimentado. Eu não sou muito fã desses molhos, mas era uma combinação perfeita para o chips. Também coloquei a batata doce com eles e deu certo.

A professora, que é americana, fez brownie. Mais típico impossível né? Também estava uma delícia, com castanhas (eram chestnuts, não sei a tradução para o português, mas dizendo o Google que são castanhas portuguesas) e um recheio de geléia de framboesa. Estão ficando com água na boca? hahaha

Minha colega síria está hospedando os sogros essa semana e a sogra dela preparou um macarrão com queijo, salsicha, brócolis e molho branco além de uma entrada feita com pão sírio, sementes (tipo gergelim) e alguma coisa apimentada que não consegui identificar. Irrestível! Aproveitei e conversei muito com os sogros dela, falei sobre as comidas árabes que eu gostava e das minhas raízes sírio-libanesas. Durante o lanche, a coleguinha síria me convidou para ir à casa dela e disse que até poderíamos sair para jantar mas ela fazia questão que eu fosse conhecer o apartamento que ela mora. Fiquei suuuuper empolgada e claro que aceitei o convite na hora!!! Talvez seja daqui duas semanas, porquê nessa ela está com visitas e na próxima ela vai viajar. Já estou ansiosa!

Preciso confessar que só não comi mais porquê já estava com vergonha. Foi bem legal nosso lanche e a experiência foi ótima. Espero que no Natal tenha de novo. hahaha Depois da comilança a professora levou um jogo de tabuleiro sobre o Outono e nos divertimos bastante. Eu fui a última colocada, porquê o dado que eu jogava só parava no 1, consequentemente, eu só andava uma casa! Todo mundo já estava com peninha de mim e sempre torcendo pra sair um número 6! Na última rodada ele saiu, e sabem onde parou? Na casinha que dizia “perca sua vez”. Daí a professora disse: melhor pararmos por aqui né?! kkkkkk Dizem que é sorte no jogo e azar no amor, então o contrário deve ser verdade também. :D

Começo FDS.

Geeente, que final de semana feliz!! Há dois sábados fico em casa o dia inteiro, porque o Jr tinha prova nessa última sexta e estava sem tempo. Então combinamos que essa semana faríamos o que eu quisesse durante o sábado. Mas aí o professor dele convidou os quatro alunos que ele orienta pra jantar na casa dele ( ele falou pro Jr que eu também podia ir). Por isso a saída de sábado ficou pra sexta e fomos conhecer um restaurante de fondue pertinho de casa!! O ambiente é bem romântico, meio escurinho e individual. Nunca tinha ido (nem visto) em um restaurante de fondue e adorei! Tirando o prato principal que vinha cru e a gente cozinhava na hora, porque mesmo deixando muito tempo ainda achamos com gosto de carne crua. Quando pedimos a conta veio também um envelope e o garçon explicou pra gente que ali tinha um prêmio, que podia ser desde $15 de desconto, um jantar para dois até um ipod. Porém, ele não pode ser aberto em casa, só podemos saber o que tem dentro quando formos lá da próxima vez (e tem escrito no próprio envelope que não vale se não estiver lacrado), adorei esse jeito de atrair o cliente de volta. Também amei a experiência, o lugar e o tempo que passamos juntos, que foi bem maior do que o de costume quando saímos. No dia seguinte fomos jantar na casa do professor. É perto de casa e podemos ir a pé, no caminho percebi que nunca tinha prestado atenção que tinha tantas coisas bonitas pertinho de mim. Também notei que com a aproximação do Halloween todas as casas têm abóboras (sim, no plural) na porta, algumas enooormes. O Jr falou “Duvido se na casa do Matt vai ter”, eu respondi que antes de matemático que não liga pras coisas ele era americano e tinha crianças em casa, as chances de ter abóbora na porta eram grandes. hahaha E não é que acertei?! Mas tinha mais do que imaginamos, porque o centro da mesa de jantar eram 4 delas rodeadas de folhas ‘do outono’. O professor já tinha perguntado se fosse carne de porco na casa dele se teria problemas, nem eu nem o Jr comemos, mas o Jr disse que não né?! Ele também falou que ia ter sanduíche, então estávamos com a ideia de comer só um pouquinho do porco e partir pro velho sanduba. Eu até pensei e comentei com o Jr de que o sanduíche podia ser de porco, mas ele achou que não. Resultado: nosso jantar foi sanduíche de carne de porco com salada. E não é que gostei?! Coloquei só um pouquinho de salada dentro do pão mas me arrependi porque quis mais depois e não tive coragem de repetir, a carne era desfiada e até que o tempero (ou a falta dele) estava bom. Já o Jr… Fomos apresentados também à esposa do anfitrião e suas duas filhas. A mulher dele era muito simpática, perguntou se tínhamos Halloween no Brasil, se estávamos gostando daqui e até elogiou os óculos do Jr. As filhas são duas gracinhas! Uma mais linda que a outra, fiquei apaixonada pela mais nova(2 anos), a bochechinha bem vermelhinha e o cabelo pouquinho bem loiro. Quando chegamos ela nos abraçou, a mãe pediu desculpa por aquilo e que a filha era muito comunicativa. Eu queria dizer que não tinha problema e nós brasileiros estamos acostumados com essa receptividade, mas não pensei na frase antes, fiquei com medo de falar besteira e respondi só com um sorriso. O professor nos recebeu todo social, mas só de meia. hahaha Achei muito diferente, porque mesmo quando fazemos algo em casa estamos calçados (nem que seja de havaianas haha), né?! As filhinhas dele são lindas, mas bem danadinhas. Para contê-las, uma vez o pai disse para a mais velha (de 5 anos) nos mostrar sua fantasia de girafa. Ela passou um tempão vestida assim, depois que enjoou pegou a fantasia que vai usar esse ano no Halloween. Era da Merida (personagem principal do filme Valente/Brave), que tem um arco-e-flecha como parte da roupa também. Ela chegou atirando e numa dessas quase acerta o pai. hahahaha Ele tinha nos avisado que as meninas dormem cedo e por isso a recepção seria de acordo com o horário delas, fiquei receosa em não saber a hora de ir embora, mas quando ela chegou ele perguntou se alguém tinha uma caminhada muito longa na volta pra fazer e entendemos o recado. Adorei conhecer a família e a casa deles. Sinto que cada vez mais estamos nos inserindo na cultura local.

Comida.

Estou a pouco tempo aqui na cidade, então ainda não sabemos sobre os melhores restaurantes nem temos carro para facilitar esse processo de conhecimento. Por isso pode ser que daqui algum tempo esse post esteja desatualizado, mas por enquanto é essa a situação. Pra começar eu e Jr não gostamos de muuuitas coisas no mundo, sabe? Somos chatinhos com comida e adorávamos junk food antes de vir pra cá (junk food brasileira também!). Acontece que aqui a maioria dos lugares que vou só tem hamburger, sanduíche (pra mim hamburger tb é sanduiche, mas eles chamam de sanduiche o que não tem hamburger) e salada! Cadê o prato com filé? Cadê um franguinho com molho ou qualquer coisa assim? Peito de frango na maioria das vezes só vem em cima da salad. Cadê um arroz, risotto, alguma coisa assim??? Eu sei que isso não é da cultura deles, mas não consigo parar de achar estranho. Almoçar prefiro em casa (exceto a parte das louças né…), só assim pra comer de verdade, pra jantar até posso comer essas coisas que comem por aqui. Em casa não cozinho de noite, nem gosto de comida no jantar, mas de vez em quando sair pra jantar é bom e melhor ainda se o cardápio oferecesse vários tipos de pratos com carne, frango, peixe… Como falei no post passado poucos restaurantes que fui ofereciam um cardápio mais ‘comida de verdade’. Espero que com o tempo eu encontre mais opções. Na maioria deles as bebidas são refrigerantes ou bebidas alcóolicas mesmo. Tem um famoso smoothie (é um tipo de vitamina) por aqui, mas não provei porque só vejo combinação estranha. No dia que fomos ao Hard Rock o Jr perguntou as opções de suco e a garçonete trouxe um cardápio que vinha dizendo “bebidas infantis: suco de laranja e maçã”. Ou seja, parece que os adultos não bebem suco, só alcóol e às veeezes refri. O suco de laranja já experimentamos e não gostamos, o sabor é muito diferente. O de maçã eu não me arrisco porque é daqueles que disse que são bem artificiais. Jr provou mas também só conseguiu beber um copo. Infelizmente, parece na cultura deles só crianças bebem suco. No dia daquele jantar na casa do chefe do departamento de matemática ele falou que tinha cerveja, outras bebidas alcóolicas e refrigerante, nada de suco. Fica difícil se manter saudável assim né? Aqui temos a opção de cozinhar sim quase do mesmo jeito que no Brasil. Alguns tempêros são mais difíceis de se encontrar, mas sempre tem um jeito de comprá-los. Eu ainda não descobri o que eles comem no jantar além de sanduíches, sopas enlatadas e comidas congeladas. Só sei que eu atualmente não topo nenhuma dessas três opções e acabo comendo alguma fruta ou tento fazer um sanduíche (sem hamburger), mas acabo ficando com fome porque nem um presunto à la Sadia encontrei por aqui. hahaha Hoje mesmo na aula de inglês a professora estava falando sobre comida. A maioria dos biscoitos (pra eles crackers quando salgados e cookies quando doces), sopas e qualquer produto industrializado ou vem muito salgado ou com muito açúcar, por isso tem que ficar bastante atento quando for às compras. Ela também comentou que muitos americanos (ela tb é americana) preferem comprar uma coisa pronta porque as frescas são bem mais caras, além de dar mais trabalho pra fazer. Tentamos balancear as compras e gosto de cozinhar, mas me recuso a pagar 5 dólares num abacaxi. Muitas pessoas acham que só comemos besteira por aqui, mas tentamos fugir delas. O problema é que às vezes (para nossas condições) elas são a única saída, por isso estou com uma certa urgência em aprender a fazer as coisinhas do Brasil.

 

Ps: Já vi alguns posts de brasileiros que moram aqui mas não concordam muito com o que falei, mas como disse ainda sou nova por essas bandas e preciso de dicas para mudar de opinião. Se vocês que moram aqui a mais tempo souberem de uma marca/tipo de presunto (pode ser peito de peru também, já tentei Sara Lee e achei horrível) que pareça com o nosso presuntinho e/ou tenha dicas de jantar estilo brasileiro, por favor comentem!! Preciso de ajuda!

Final de semana.

Na sexta de tarde o Jr tinha uma prova de inglês que a gente só veio lembrar quinta-feira de noite, mas pelo menos lembramos. hahaha Quando acordamos fomos tentar fazer o almoço e só tinha sal pra temperar a carne. Foi o jeito. kkkk Fiz um arroz que ficou meio mole, mas até que dá pra comer sem achar muito ruim. O outro acompanhamento  foi um macarrão. Achei a manteiga, a cebola e o alho pouco, parece que não deu gosto, por isso acrescentei cebola e pimentão. hahaha A carne ficou por conta do Jr grelhar, então ficou do jeito que ele gosta: torrada! Pra ser o primeiro almoço até que não ficou tão ruim. Deu pra comer e o Jr ainda repetiu o macarrão. No outro dia eu queria fazer frango , mas não tinha nada pra fazer o tempero então fiz o mesmo cardápio do dia anterior mudando o macarrão por uma saladinha que o Jr amou. Peguei a receita num blog e saiu boa. :p De tarde fomos trocar a bike do Jr porque ele disse que a primeira que tinha comprado não andava. Antes de irmos olhei uma lista básica de supermercado de tempero pra poder comprar algo pra gente. Agora sim estamos prontos para começarmos uma dieta e nos tornarmos chefs de cozinha. kkkk To exagerando, quero fazer uma comida que fique pelo menos boa… De noite fui arrumar as compras, lavar algumas coisas e colocar a roupa pra lavar (aqui a roupa fica com um cheiro muuuuito bom!!!). Compramos uma mesinha pro Jr estudar e ele foi montar. Depois jantamos aqui em casa mesmo, morrendo de felicidade, mesmo estando em casa num sábado a noite, véspera do dia dos pais e longe de todo mundo. Hoje estive ausente pela primeira vez do tradicional almoço do dias dos pais na minha família, mas acho que todo mundo estava feliz porque eu estava aqui realizando nossos sonhos. Hoje é o dia dos pais e não podia deixar de fazer um recadinho pro meu pai querido. Todo ano escrevo um bilhetinho e deixo na cabeceira, mas esse ano está sendo muito diferente. Pai, tu sabe o quanto eu te amo e o quanto eu te admiro. Estou sentindo muita saudade, por isso tira logo esse passaporte e visto e vem me ver. Obrigada por tudo. Te amo!