Curiosidades – universidade nos EUA

A pergunta que mais me fazem é: tu consegue entender tudo que o professor fala? Não. não entendo 100% do que eles falam, mas diria que comecei o semestre entendendo 75% e agora já entendo 90% do que é dito em sala de aula. Por causa desse não entendimento, perdi 3 tarefas importantes e tive que me virar pra conseguir pontos extras.

Outra curiosidade é sobre os alunos/colegas de classe. Como aqui a gente não cursa bloco fechado, pago matéria com várias pessoas diferentes. Algumas, só tenho uma aula em comum, então fica difícil estabelecer um relação de amizade com uma pessoa que você vê uma vez na semana. Além disso, as turmas tem uns 50 alunos, o que dificulta o entrosamento. Na minha aula de inglês, com uma turma bem menor, a gente consegue se relacionar melhor. Me perguntam também sobre amigos americanos, se eu falo muito com eles, se são diferentes dos internacionais. A verdade é que acho que não tem muita diferença, mas não sei por qual motivo não me aproximei muito deles ainda. Coincidentemente, sentei perto de uma menina do Vietnam e viramos amigas. Numa aula não falo com ninguém e percebo que muitas pessoas dessa minha aula não se relacionam também.

Aluno é aluno em qualquer lugar, então sempre vai ter aquele que pesca, aquele que dorme, um outro que conversa demais… é a mesma coisa aqui. Eu acho que aqui a relação aluno-professor tem uma distância maior, apesar de achá-los bem mais prestativos do que os que tive na faculdade no Brasil. Eles têm horários designados apenas para ajudar alunos e isso é muito bom. Mesmo assim, acho que os alunos aqui não se importam muito com o professor. Tenho uma aula às 8h da manhã que muuuuita gente dorme, outras ficam com fone de ouvido ouvindo música (mesmo o professor explicando no plano de curso que é proibido o uso do celular), outras assistem vídeo na maior cara de pau e não colocam fone e uma mínima parcela presta atenção de verdade. Eu sento bem na frente e ficava me perguntando porquê o professor dava aula olhando só pra mim e pra umas duas ou três pessoas do lado, aí um dia desses eu olhei pra trás e vi o que acabei de descrever.

Uma diferença aqui são as tarefas de casa. Sim, temos muita! E não é coisa de ensino médio ou infantil. Independente do seu ano na faculdade você vai ter sempre tarefa. Umas matérias têm mais que as outras, mas todas tem. E tudo vale ponto pra sua nota final. Aqui você não faz só 4 provas, faz a média e pronto, tem sua nota. A gente faz tarefa de casa, quiz (mini provas) e provas. Apesar de não estar acostumada com isso eu acho que é muito bom, assim a gente não vicia em estudar só em época de provas. Além disso, tem matérias que só tem duas provas, outras que tem quatro + final, outras que tem quatro mas não exigem final, então tá sempre tendo prova de alguma matéria.

Minha universidade promove vários eventos e workshops pra ajudar tanto a fazer amizades quanto entrar no espírito acadêmico. Acho legal, mas não gosto de forçar amizade. hahaha

Como ingressar na universidade nos EUA.

Há tempos queria fazer esse post, mas fiquei enrolando. Muita gente tá me perguntando sobre universidade então decidi colocá-lo no ar. Vou dar uma ideia geral de como fazer pra ingressar na universidade aqui, mas algumas delas tem pré requisitos que outras não tem então é sempre bom checar o site da universidade que você queira. O bom daqui é que eles disponibilizam todas as informações nos seus sites e ajuda muito! Praticamente todas as universidades aqui requerem uma prova chamada SAT. Bom, o SAT é o exame que as universidades americanas usam para avaliar o desempenho de cada estudante para aceitá-lo ou não como universitário. É parecido com o ENEM aí do Brasil. Primeiro nos increvemos para a prova e podemos escolher até 4 faculdades para eles enviarem os seus resultados (scores), depois fazemos a inscrição na universidade que queremos (site da universidade) e eles analisam os scores do SAT, do TOEFL (prova apenas de inglês para estrangeiros que não têm inglês como língua primária),o desempenho escolar, carta de recomendação, essas coisas. Têm dois tipos de SAT: o geral e o subject. O geral contém uma redação e 6 sessões para serem resolvidas em 25 minutos cada, 2 sessões de 20 minutos cada e uma sessão de apenas 10 minutos. Ou seja, assim como o TOEFL, o maior desafio do SAT é o tempo. As questões não são muito difícieis, mas lembre-se que  na maioria das vezes você vai ter menos de 2 minutos pra cada. Então minha dica é: quando for estudar para o TOEFL e para o SAT é muito importante que você faça isso de acordo com o tempo que você vai ter no dia da prova, ou seja, cronometre o tempo. O SAT subject testa o conhecimento específico de alguma matéria, a minha universidade não pedia, então não fiz e não sei muito a respeito. Me preparei para a prova do SAT com um livro chamado The official SAT study guide, se não me engano é o que eles recomendam no site. Não foi caro, foi uns $30 na época (quase dois anos atrás). No site eles também disponibilizam algumas questões, mas não são muitas, então é melhor comprar o material mesmo. Pro TOEFL só treinei com material grátis do próprio site, não me preparei muito pra falar a verdade, então meu score não foi lá essas coisas, mas deu pra ser aceita. hahaha Tanto o TOEFL quanto o SAT podem ser feitos no Brasil, parece óbvio mas muita gente não sabe. Entrei em contato com o meu colégio pedindo pra traduzirem o meu histórico e eles se encarregaram disso, não fui eu que fiz nada, mas se não me engano a secretaria de educação da minha cidade que ficou responsável por fazer isso. Quando os documentos ficaram prontos, pedi pra colocarem no envelope da escola, selado e tudo, mas quem enviou pra universidade foi minha mãe e não o colégio. Nunca vi esses documentos, foram direto pra universidade. Lá, alunos internacionais são muito bem recebidos e eles estimulam esse mix de estrangeiros com nativos. Não precisei de carta de recomendação. Precisei do extrato bancário de quem ia pagar minha faculdade (no caso a mamãe) tanto pra ser aceita quanto pra eles emitirem o I20 (tive que enviar duas vezes). Infelizmente, o valor da tuition para estudantes internacionais é bem mais cara do que para americanos. Algumas universidades não aceitam que o pagamento seja dividido, ou seja, tem que pagar o ano todo de uma vez. Outras, como a minha, deixam você mais a vontade pra pagar. O pagamento pode ser feito também por semestre ou em 3 prestações em cada semestre. Como falei antes, isso depende. Alunos internacionais geralmente não conseguem bolsas e devem provar que tem dinheiro pra pagar pelo menos o primeiro ano de faculdade. Com o nosso visto, podemos trabalhar até 20h na universidade (além de estudar, claro) no primeiro ano e a partir do segundo ano podemos pedir uma permissão pra fazer estágio fora do campus. No meu primeiro ano optei por só estudar, me acostumar com a rotina de estudos e aprimorar bem o inglês. Porém, penso sim em fazer estágio a partir do próximo ano. Espero ter respondido algumas dúvidas, qualquer coisa é só perguntar que tô sempre aqui. :)

Universidade nos EUA – dúvidas

Uma prima querendo saber das novidades por aqui me fez várias perguntas sobre a universidade, decidi transformar nossa conversa em post, assim posso ajudar a matar a curiosidade de outros também, né? hahaha

As primeiras coisas que ela perguntou foram se os colegas de turma eram legais, se eu sofria bullying e se tinha muito estrangeiro na sala. Bom, o povo é super gente boa, mas eu não estou amiga de ninguém. Aliás, nem sei como alguém consegue fazer amizade em uma semana. Inclusive tenho uma aula que ajuda na transição colégio-faculdade em que o instrutor falou que se você não ficou próximo de ninguém na primeira semana o seu semestre vai ser ruim. Eu não acredito muito nisso… Não sofro bullying e eu juro que tinha medo disso. Ainda tá muito no comecinho das aulas, mas acho que não vou ter esse tipo de problema. Tem muitos estrangeiros na universidade, mas na maioria das aulas predomina americanos. A exceção é na aula de inglês, que os americanos não precisam e por isso a turma é formada apenas com estudantes de outros países.

Outra coisa que falamos foi sobre o horário das aulas, se eu passava o dia na universidade, se tinha aula todo dia, essas coisas. Tenho aula todos os dias, mas aqui não é bloco fechado, o sistema é por crédito. Você que escolhe quais matérias quer cursar, mas tem algumas obrigatórias no curso, claro. Como nesse primeiro semestre a gente não tem muita noção das coisas nossos orientadores que escolhem o que vamos cursar. Caso tenha alguma matéria que você não queira você pode tirar ela do seu horário ou trocar por outra. Muita gente passa o dia todo na universidade, mas eu não (pelo menos por enquanto). Os intervalos entre uma aula e outra são bem grandes, então vou pra casa. Só dia de quarta feira que tenho mais aulas e fico até 14h lá. Hoje, por exemplo, tive aula às 11h e só vou ter outra 17:30. Percebi que dia de sexta a universidade fica vazia!! Não sei se é porque poucas aulas são ofertadas na sexta ou se os alunos que escolhe de segunda a quinta.

Sobre os livros eu falei um pouco no post anterior, mas vou falar de novo. Somos obrigados a ter os livros de todas as matérias que estamos cursando. Alguns tem versão “ebook“, mas a maioria não. Uma coisa interessante que existe aqui é o aluguel de livros. É super comum você alugar os livros daquele semestre e depois devolver, vários sites fazem isso e a bookstore da universidade também. Temos tarefas de casa toda semana de todas as matérias e temos que nos preparar previamente para as aulas. Por isso, eles disponibilizam o calendário do semestre inteiro e você vai se preparando. A questão das provas achei meio confusa, algumas matérias tenho que fazer 4 provas + final, outra só 2+final, tem uma que nem preciso do final e em outras tem provas online.

Uma coisa que achei interessante é que todo mundo usa mochila aqui, inclusive professores. Alguns usam até de carrinho!! Coisa que eu só tinha visto no colégio infantil em Teresina. hahaha

Vida acadêmica – 3 dias de orientação

A novidade que falei no post passado é que agora sou F1 também!!! Assim como o meu marido, agora sou estudante! Já falei em posts passados que não terminei a faculdade no Brasil e por isso resolvi tentar estudar aqui. Estou muuuito feliz que deu certo e minhas aulas começarão semana que vem!!!

Antes das aulas começarem tivemos 3 dias de orientação. Elas são muito esclarecedoras e é muito bom pra gente ir “se enturmando”. Durante os três dias passamos o dia inteiro na universidade e, por isso, tivemos café da manhã, lanche e almoço. Minhas expectativas foram superadas!!! Não vi ovo nenhum dia por lá! kkkkkk

A primeira coisa que fizemos quando chegamos foi tirar a foto para o cartão da universidade. AInda bem que minhas foto ficou boa. hahahahaha No nosso primeiro encontro recebemos a “visita” do reitor, que aproveitou pra falar da triste situação de Ferguson (fica ao lado da universidade) e nos tranquilizar sobre a segurança dentro do campus. Depois nos dividiram em pequenos grupos e para nos conhecermos melhor fizeram algumas brincadeiras. Em seguida, deixamos nossos documentos para eles checarem se estavam em ordem. O almoço foi “servido” e logo em seguida tivemos provas de inglês. Sou muito ruim em fazer redação em inglês, tô torcendo pra me colocarem numa turma de aulas de inglês com foco nisso. Durante o dia falei com poucas pessoas, mas já fiquei mais colega de uma chinesa e uma coreana.

No segundo dia cheguei mais cedo do que no primeiro e tive bastante tempo pro café da manhã. Frutas (por incrível que pareça) deliciosas e bagels fresquinhos!!! É só passar um creamcheese e fica delícia! O dia foi mais chato do que o primeiro porquê envolvia palestras sobre plano de saúde, segurança e bem estar (cuidado com as calorias!! kkkk), pagamentos, essas coisas… Também falaram como “fazer” amigos americanos mas de uma maneira divertida. Tivemos também uma atividade para aprendermos como lidar com as diferenças culturais. Preparam também várias palestras sobre tópicos úteis pra gente aqui nos EUA. Escolhi o ‘economizando dinheiro’ e ‘conseguindo um trabalho’. Achei que os dois valeram a pena, apesar de já saber algumas coisas que foram ditas no primeiro por causa do tempo que moro aqui. Na parte da tarde fizemos um tour pela universidade, andamos duas horas sem parar e mesmo assim não conhecemos tudo. Foi bem cansativo, mas pelo menos já sei onde fica o prédio do meu curso.

Durante o terceiro dia tivemos contato com os novos alunos americanos, inclusive com os pais deles. Achei muito interessante que vários pais estavam acompanhando seus filhos e tirando fotos de tudo. Também tivemos encontros com pessoas do nosso departamento, que nos explicaram um pouco de como funcionam as coisas por lá, estágios, fraternidades, etc. Achei o dia mais chato, mas não posso negar que foram bem úteis esses três dias. Ontem ainda tive que ir falar com minha orientadora para fechar meu horário do semestre. Aproveitei ontem também pra pegar a permissão pra estacionar. Por sinal, em várias universidades essa permissão é paga, já na minha conseguimos sem pagar nada a mais. Uma coisa bem interessante que achei foi poder usar o site da livraria da universidade pra pesquisar preços e livros e fazer minha lista por lá. Como as aulas começam semana que vem não dá tempo pedir online, o jeito é pagar mais caro e comprar na universidade mesmo. Aqui também tem a possibilidade de alugar o livro, mas dos que vi o preço do aluguel era o mesmo de comprar usado, então preferi comprar mesmo. Já recebi um email avisando que os livros já estão no ponto pra eu pegar e hoje mesmo vou buscar. Pelo que os professores escreveram no “aluno online” a gente já tem que ter lido alguma coisa mesmo no primeiro dia de aula. Deus me ajude!

 

Lavanderia americana

No meu antigo prédio tinha 3 máquinas de lavar roupa e 3 de secar. Já nesse só tem uma de cada, ou seja, é muito ruim quando tem muita coisa pra lavar. Depois que minhas visitas foram embora e eu recebi a notícia que iria pro Brasil percebi que passaria o dia inteiro indo e voltando no porão pra lavar tudo que tinha. Além disso, quando comecei a lavar veio outra pessoa e deixou as coisas dela lá em cima da máquina, como quem diz: sou a próxima. Por isso, decidi ir à lavanderia que fica bem pertinho de casa. Eu queria conhecer, mas não tinha oportunidade. Coloquei todas as roupas de cama, toalhas, roupas acumuladas e fui! Chegando lá tem que comprar o cartãozinho da lavanderia e carregar. Só custa 45 centavos e você vai adicionando crédito. O preço da lavagem varia de acordo com o tamanho da máquina que você usa e, no caso dessa lavanderia, as roupas que eram lavadas lá podiam ser secadas de graça. É só inserir o cartão em cada máquina que ela já desconta o valor da lavagem e mostra o saldo.  Você pode levar seu sabão ou comprar lá (que na minha opinião não vale a pena). Cheguei de tardezinha e não tinha quase ninguém, mas depois foi chegando mais gente e tarde da noite fica lotado!! Pra passar o tempo enquanto sua roupa lava e seca eles disponibilizam wi fi grátis, televisões, pin ball e video game. Parecia o “play” do shopping. hahahaha Posso não ter dado sorte mas as roupas não ficaram bem secas. As máquinas de secar dos dois prédios que usei demoravam 45min cada “rodada” mas lá só eram 10min. Eu achei que por serem maiores talvez fossem mais potentes, mas precisei programar a máquina várias vezes e mesmo assim ainda cheguei com coisa molhada fria em casa. Valeu a experiência, mas só volto em casos extremos. Enquanto for pouca coisa dá pra eu me virar com a máquina do prédio.

Turismo em St Louis

Resolvi fazer um post sobre isso logo porque tive dificuldades em encontrar relatos de turismo aqui em St Louis na internet. Só achei de site de viagens, wikipedia, essas coisas impessoais.

Bom, o Gateway Arch é o monumento mais famoso daqui. Fica no centro da cidade e dá para subir até o topo. Entramos num elevador meio cápsula (claustrofóbico não pode ir, porque é muuuuito apertadinho). Sem falar que por causa da forma da construção ele vai balançando no percurso. Lá em cima tem umas janelinhas e você fica admirando a vista. É legal, mas é rápido, não tem muito o que fazer sabe? Mas lá embaixo na entrada tem um museu e um cineminha e você pode assistir documentários relacionados ao arco. É claro que tem a lojinha de souvenir também. O parque onde o arco fica é bem legal e se não tiver tão frio dá pra fazer uma caminhada que é bem relaxante. Dentro do mesmo parque também fica a Catedral antiga, vale dar uma entradinha.

Aproveitando que já tá no Centro da cidade e é praticamente em frente ao monumento mais famoso de St Louis vá conhecer a Old Courthouse. É um prédio histórico bem bonito. Amo a cúpula de lá!

Se você é daqueles que gosta de conhecer os restaurantes típicos e provar as comidas locais uma boa pedida é ir comer a costelinha de porco do Pappy’s Smokehouse. Chegamos lá 13h e tivemos que enfrentar uma fila imensa!! Já saiu até no programa Man vs food.

Se você vem com criança ou é uma criança por dentro ainda no centro da cidade tem o City Museum. É um museu diferente, super interativo. É uma mistura de playground com museu, dá pra escalar algumas “obras”, escorregar, pintar e jogar em várias exibições. O bom é que fica aberto até a meia-noite e se você for de noite ainda paga mais barato!! Bem pertinho fica o City Garden, várias praças com várias esculturas e fontes e que os americanos adoram (eu não vejo muita graça).

A Cathedral Basilica é outro ponto que vale a pena ser visitado! Remete às igrejas antigas da Europa e tem várias pinturas e mosaicos de deixar qualquer um boquiaberto. O bom é que pode tirar fotos! Se naão for na hora da missa, claro. A mamãe adorou o lugar! Todos os domingos íamos à missa lá.  Fica num bairro bem gostoso, chamado Central West End e tem vários lugares bons pra comer por perto.

Meu lugar favorito em St Louis chama-se Forest Park. É de uma imensidão que é impossível conhecer tudo de uma única vez. Dentro dele tem campo de futebol americano, quadra de tênis, dois museus, restaurantes, pedalinho e um lago. É o lugar que mais gosto de ir, onde tiro as fotos mais bonitas (e onde já peguei uma multa também) e é bem relaxante. Se não tiver muito frio é muito bom dar uma caminhadinha, passar por entre as árvores e lugares em que a água do lago atravessa nosso caminho. É um contato muito bom com a natureza. Lá já visitei o Museu de Arte (que é grátis) e falta o Museu de História.

O Jardim Botânico também vale muuuuito a pena ser visitado (sábado até meio dia é grátis para quem mora aqui), principalmente na primavera. Levei a mamãe e minha prima no final do outono e mesmo assim gostaram (menos do frio, claro). O jardim japonês e o árabe são meus preferidos. Lá dentro tem também a casa de Tower Grove, que foi quem criou o jardim e posteriormente deu nome ao bairro. Também é tão grande que nem sei quem consegue caminhar tudo aquilo em uma só vez. E pertinho de lá tem uma patisseria bem charmosa chamada La Chouquette com lanchinhos interessantes.

Eu sempre levo quem vem me visitar pra conhecer a Washington University in St Louis, porque é onde o Jr estuda e é bem diferente das universidades do Brasil. Prefiro ir num horário que não tem muito aluno e vários prédios ficam fechados, mas se for em dia normal dá pra conhecer tudo e morrer de vontade de estudar lá. A entrada parece de um castelo e tem vários salões dignos de rei mesmo.

Tem também a cervejaria Budweiser que nunca fiz porque não bebo e aí fico com vergonha de ir e não provar o que eles oferecem. hahahaha Mas quem faz o passeio pago diz que é muito bom, porém o grátis é sem graça. Quem for, me conta.

Outros dois restaurantes famosos e a cara de St Louis são Blueberry Hill e Pastaria. O primeiro fica pertinho da universidade, tem vários espaços e vive lotado! É comida americana e eles servem o menu de café da manhã o dia inteiro. Já o segundo é de comida italiana, fica no “bairro” nobre da cidade e é ótimo pra ir comer uma pizza assada em forno a lenha (coisa difícil por aqui) e pedir o crispy risotto balls de entrada.

O post ficou meio longo mas espero que ajude quem tem planos de vir pra cá. Essas são minhas dicas dos lugares mais legais e acho que não esqueci de nenhum lugar que vale a pena conhecer por aqui.

Americanos e sua sinceridade

Eu acho que nós brasileiros muita vezes não gostamos de algo, mas só pra agradar quem fez a comida, por exemplo, acaba dizendo que gostou. No começo achei a sinceridade americana demais, na verdade ainda acho. Acho que eles não tem aquela dúvida: será que ela falou só pra agradar? Porquê todo mundo é SUPER sincero, às vezes pra coisa boa e às vezes não. Vamos aos exemplos, haha.

– Comprei uma calça listrada e toda vez que uso alguém me elogia, já foi na aula, no supermercado, no shopping, mas sempre tem alguém que nem me conhece pra dizer que gostou.

– Jr tem um colega americano gay que vive com um cara mais velho, aí outro colega americano vira pra ele e pergunta: mas porquê você escolheu um velho???? Claro que nessa hora o Jr fica com o sentimento de vergonha alheia, pois ele tem vergonha até na hora que não é pra ter. O amigo gay nem se importou… americano também, né?! Então…

– Vou lá no Mc Donald’s e o caixa (que está do outro lado do “balcão”) diz que gostou do meu perfume, e eu: hein?? Ele repetiu e disse o cheiro realmente era bom. Ok, obrigada (fiquei tímida :p).

– Esses dias o orientador do Jr trouxe uma professora convidada pra palestrar na universidade e depois foram jantar. Como só o Jr e o outro aluno tinham confirmado presença no jantar o professor falou com a universidade para liberar o dinheiro para apenas cinco pessoas, mas aí a mulher dele  foi com as crianças, além da a esposa do outro professor e o parceiro do amigo do Jr também, ou seja, mais de cinco pessoas. Na hora da conta o orientador tava falando pra mulher dele pagar a parte dela, que ele só tinha dinheiro pra cinco pessoas e que ela, as crianças e o parceiro do aluno dele não estavam programados. Jr disse que ficou constrangido, falando de dinheiro e discutindo a conta de uma maneira não muito agradável na frente da convidada. Ainda bem que não fui, senão ia ficar com vergonha também. :D

– Outro dia um menino negro que estuda comigo pintou apenas uma parte da frente do cabelo de loiro. Na hora que ele entrou o professor parou a aula, disse que tava feio e pra ele ajeitar. hahaha Na hora do intervalo ainda perguntou o motivo dele ter pintado e disse pra ele ter cuidado pra não deixar transparecer que ele era uma coisa sem ser (no caso, gay).

Só eu achei essas coisas um pouco sinceras demais? Sou “fina” como dizem no Piauí? kkkkk Falei com o americano amigo nosso e ele disse que americano não fica com vergonha a não ser que seja uma cosa beeeeeeeeeeeeeeeeeeeem cabeluda.

 

P.s.: Às vezes deixo de postar porquê só escrevo post grande (um assunto pode não render tanto ou apenas a minha preguiça não deixa kkkk), vocês acham melhor fazer post pequeno sempre ou deixar pra fazer só um grande mesmo?

Fazendo amigos

Minha nova aula é bem melhor que a antiga, não só pelo professor mas também porquê lá tem mais alunos. Na hora do intervalo dá pra interagir com outras pessoas e foi assim que descobri uma nova colega. A maioria das pessoas têm filhos, o que ocupa demais o tempo delas, mas eu e essa outra colega não temos e pra passar o tempo em que os maridos não estão em casa ou não podem nos dar atenção a gente resolveu interagir fora da sala de aula. :p

Primeiro fomos comer pizza num lugar bem legal, que faz pizza ao estilo italiano (eu gosto de todos os estilos, até o daqui já tô gostando) e em seguida comemos cupcake. A gente conversou, conversou, conversou e se identificou. Depois ela me convidou pra uma pizza na casa dela e jogar alguns jogos de tabuleiro, dessa vez com os maridos (ela é coreana casada com americano). Fiquei toda feliz e ansiosa! Eles são praticamente da nossa idade, então a gente se dá muito bem. Uma coisa que achei bem legal foi que a gente não pode entrar calçado na casa deles, aí essa minha amiga deixou uma pantufa de oncinha separada pra mim (e pediu desculpa pro Jr, que aquilo era só pra mulher, não tinha pra homem hahaha). Não é uma fofa? :D

No dia seguinte fomos ao Jardim Botânico. Eu ainda não conhecia e estava querendo muito ir, ainda mais na primavera. Marcamos de ir num sábado porquê a entrada é grátis até o meio dia pra quem mora em St Louis. Achei isso bem legal também! O Jardim é lindo, tinha muuuitas tulipas, um jardim japonês, um jardim árabe outro pra crianças, enfim… fica a dica pra quem vier por aqui algum dia (me liga!).

Depois de lá fomos pra um restaurante mexicano perto daqui de casa (ela mora bem pertinho da gente) e eu adorei! Adoro restaurantes novos e lá comi arroz! Nunca tinha comido em nenhum restaurante aqui, só em casa mesmo, então achei o máximo. Jr tava cheio de coisas pra fazer por isso ela me chamou de novo pra ir pra casa dela, achei o máximo! Eu sempre tive a impressão de que aqui pra você ir na casa de alguém tinha que combinar alguns dias antes, essa coisa de em cima da hora era coisa de brasileiro. Só fui embora porquê já tinha combinado um filme com o Jr de noite. :) Nesse dia ela me deu até presentinhos, acreditam? Ah, apesar de saber, ela tem medo de dirigir então fiz o que faço com meus amigos no Brasil: fui buscar e deixar em casa e recebi até elogios dizendo que eu era uma boa motorista. Gente, amooo dirigir (eu sei já disse mil vezes) e ouvir que SEI dirigir, é alimentar meu ego! kkkkkk Mas ela já tinha me conquistado antes disso, que fique claro. :D

No último sábado fui pra casa dela às 17h e só voltei 00:30. Será que tava bom?? FOi demais! Jogamos baralho e até ganhei algumas partidas. Jr vai pra um congresso em maio, eu falei pra ela que ia ficar sozinha e coincidentemente ela e o marido vão pra cidade dele na mesma semana aí ela me convidou pra viajar com eles enquanto o Jr tá em outra cidade, não é o máximo?! Estou super ansiosa e já sei que vou adorar o passeio!! Ah, na cidade dele tem Fogo de Chão, que é a churrascaria brasileira que fui em Chicago e já combinamos de ir, eles adoram!

É como eu digo, aos poucos as coisas vão se ajeitando e mais cedo ou mais tarde eu ia acabar fazendo uma amizade. Essa já sei que vai ser pra vida toda, já estão convidados inclusive pra conhecer minha cidade no Brasil, quem sabe na próxima vez que eu for?!

At Botanical Garden

At Botanical Garden

My new class is much better than the old, not only by the teacher but also because there has more students. During break I can interact with other people and that was how I discovered a new colleague. Most people have children, what occupies a lot of their times, but we, me and this colleague, don’t, so we decided to hang out while our husbands can’t give us attention.

First we went to eat pizza in a really cool place that makes pizza Italian style (I like all styles, now even american) and then eat cupcake. We talked, talked, talked and identified. In other day she invite us to eat pizza at her house and play some board games, this time with our husbands (she is korean married with american guy). I was all happy and excited! They are pretty much our age, so we get along fine. One thing that I thought was pretty cool that we can not enter in their house using shoes, so she left a slipper leopard separate to me (and apologized to Jr, that was just for women, hahaha) . She is so cute, don’t you think?

The next day we went to the Botanical Garden. I did not know and was very willing to go in the spring. We arranged to go on a Saturday because the entry is free until noon for those who live in St. Louis. I found this pretty cool too! The garden is beautiful, had sooooo many tulips, a Japanese garden, a Arabic garden other for children, well… is a tip for those who come here someday (call me!).

Then we went to a Mexican restaurant near here from home (she lives very close to me) and I loved it! I love new restaurants and ate rice there! Never eaten in any restaurant here, just in my house, so I figured as much. Jr had a lot of things to do so she called me again to go to her house, I found the best! I always had the impression that here for you to go into someone’s house had to combine a few days before, that thing at the last minute was something Brazilian. I just back home beacuse I already agreed watch a movie with Jr at night. :) That day she gave me goodies, can you believe that? Ah, she don’t like to drive here so I did what I do with my friends in Brazil: I pick up and drop at home and received praise even saying I was a good driver. Guys, I looooove driving (I know I have said a thousand times) and  hear that I drive well is feed my ego! kkkkkk But she’d already won me before say that, make it clear. : D

Last Saturday I went to her house 5 p.m until 00:30 a.m. It was awesome! We Played cards and even won some matches. Jr goes to a congress in May, I told her I was going to be alone and coincidentally she and her husband go to his town the same week, then she invited me to travel with them while Jr is in another city, is not great?! I’m super excited and I know I’ll love the ride! Ah, the city has it Fogo de Chão, which is the Brazilian steakhouse in Chicago and we’ll certainly go, they love it!

It’s like I say, things will slowly settling, and sooner or later I would make a friendship. I know this is going to be for life, even now they are invited to know my city in Brazil, maybe next time I go?!

P.s.: I’m sorry for some English mistake, it’s my first time.

P.s.: Me desculpem por algum erro de inglês, é minha primeira vez. :)

Detroit e dia-a-dia.

NA segunda parte da viagem fomos para Detroit. Na verdade, eu nunca nem tinha pensado em ir pra lá tão cedo! Quando meu irmão chegou meu pai falou pra ele: “já que tá aí vai conhecer Chicago, Detroit, sei lá, o que der e for perto (mais ou menos perto :P).” Então que fui pesquisar e descobri que saindo de Chicago seriam apenas 4h30min também, ou seja, um lugar bem possível de ir. :) Não tô  muito afim de fazer um “roteiro” igual fiz o de Chicago, mas posso dizer que a cidade respira Henry Ford. Fomos ao Museu e fizemos a visita à fábrica da Ford. O museu é bem mais interesssante a meu ver, tem vááários carros legais lá e de todas as épocas. Gente, já falei que gosto de dirigir, e,consequentemente de carro né? Então, esse passeio acho que agrada mais aos maridos (ou irmãos :D). hahahaha Também fomos ao prédio da GM que é lindooo! Tem lojas e até hotel lá dentro. Um arrependimento foi não ter tirado visto pro Canadá e atravessado a fronteira, estava bem convidativo do outro lado do rio. ;)

Esses dias estão sendo bem movimentados por aqui. Comecei na aula de inglês nova, quero sair da antiga mas tô com pena/vergonha de dizer pra professora. ELa é tão legal, mas a outra me ajuda muito mais. Às vezes acho que me importo mais com os outros do que comigo mesmo né? Enfim, toda semana digo que vou criar coragem mas nunca falo. hahahaha Na aula do outro professor a gente sempre discute assuntos um pouco polêmicos e eu adoro. Adoro ouvir as opiniões de uma pessoa com a cultura totalmente diferente da minha, nem sempre concordo mas a gente sempre discute (no sentido bom da palavra). Além disso, ganhei uma colega coreana! O marido dela é americano e também estuda por aqui, alem de ser mais ou menos da mesma idade que a gente. Uma vez já saí pra comer pizza e cupcake com ela e adorei! Foi ótimo!! Durante esses dias também saí com uma brasileira, querida leitora Gleid, que acompanhava o blog antes de vir pra St Louis, assim o contato virtual se tornou real. Aliás, quero muito que outros contatos virtuais se tornem reais!

Minha carteira de motorista chegou mas veio com o meu nome errado!! Ai que triste, tenho que ir lá de nooovo pra consertar. Quando o documento do carro chegou também estava errado, mas eu avisei na hora do requerimento e a mulher disse que só dava pra mudar depois que eu recebesse. Pelo menos já tirei a carteira né? O seguro está ameaçando a gente porque o Jr não tem carteira. kkkkkk Mas ele ligou pra lá hoje e deram um prazo até agosto, então já está mais ou menos resolvido.

Ahh, estamos na temporada de tornados também, ou seja, sempre temos que estar de olho no tempo. Americano é muuuito ligado na previsão do tempo, não sei se é por causa dos desastres naturais ou paranóia, sei lá, sei que tô começando a ficar assim também. hahaha Semana passada eu estava sozinha em casa e o alarme tocando, pensem no nervoso! Agora já sei que tenho que ir pro porão ou pra dentro da banheira. :)

P.s.: Nada a ver com minha vida aqui, mas agora criamos um instagram para a confeitaria da mamãe e pra quem quiser conferir e seguir, é só procurar por @doce_vicio. Pra quem não tem instagram mas quer conferir, é só clicar aqui.

Tirando a carteira de motorista! Yey!!

Bom, pra dar um intervalo nos posts da viagem resolvi escrever sobre minha carteira de motorista aqui dos EUA. Sim, minha carteira brasileira é válida aqui enquanto ela for válida no Brasil também. Importante lembrar que nem em todos os estados acontece dessa mesma forma, mas ainda bem que aqui sim. Então vocês devem tá se perguntando o motivo de tirar a daqui, né? Pois é, quando compramos o carro foi a maior dificuldade pra achar uma companhia de seguro e quando achamos não era nada barato! Entre outros fatores, uma das razões para o preço elevado era que nós não tínhamos um histórico de direção aqui, que só é possível com a carteira local, certo? Além disso, nosso seguro determinou que tínhamos que tirar a carteira de motorista americana em 30 dias, ou seja, não tive escolha. Também tem outro ponto: meu passaporte anda sempre comigo na bolsa, pois é a forma de identificação válida que tenho por aqui. É perigoso, caso eu perca nem quero pensar na dor de cabeça, enquanto que se eu tiver uma carteira de motorista ela vale também como carteira de identidade e meu passaporte pode ficar guardadinho, sendo usado apenas para viagens pra fora do país. Não é legal assim? :D Eu estava uma euforia só quando comprei o carro, depois meu irmão chegou e eu nem conseguia pensar em outra coisa! Por isso, não me preparei direito pro teste, mesmo assim queria ver como era, se era muito difícil, o que eles observavam e tal. Eu tava com medo das taxas, mas resolvi arriscar assim mesmo. Fui até o escritório de testes já com os documentos (como meu visto é F2 preciso de uma carta da universidade confirmando a matrícula do marido além do passaporte, I20 e comprovante de residência) e na mesma hora me colocaram pra fazer o teste escrito, aqui não marca antes. É claro que reprovei e soube disso antes de terminar, porquê a medida que você passa de uma questão pra outra ela já diz se você acertou ou não. A minha primeira surpresa: ao final do teste a pessoa que trabalhava lá me perguntou se eu queria tentar de novo e eu aceitei. Podia tentar duas vezes por dia e não paguei nada. Claro que não passei também. :D Voltei pra casa e li o guia de direção inteirinho e no outro dia fui lá de novo. Antes de terminar o teste eu já tinha sido aprovada (não precisa acertar todas e eu atingi o percentual mínimo antes de responder tudo)!! ÊÊÊ! Daí fiquei esperando pro meu teste de direção mesmo, tava confiante, afinal (penso eu) não sou barbeira e amo dirigir! Ah, carro automático também não tem a preocupação de deixar “estancar” ou “morrer” né?! Aqui todo mundo faz a prova no seu carro, antes de começar a avaliadora olha se os faróis e setas estão funcionando, se você sabe o que é o freio de mão e o outro freio, pergunta também se você sabe dar luz alta e piscar a luz (dã! kkkk) e utilizar o desembaçador (o nome é esse mesmo?) dos vidros dianteiro e traseiro. Depois dessa checagem começa o teste. Nada de diferente, mas nem fui pra baliza e já tinha sido reprovada. kkkkk A regra por aqui é olhar por cima do ombro (além do retrovisor) quando for trocar de faixa, dar ré, fazer um estacionamento, tudo! No Brasil a gente não é ensinado assim né?! E eu acho que é mais perigoso também, mas como são as regras daqui né… No dia seguinte viajei e no último dia do prazo que o seguro tinha me dado fui de novo e passei!! Uhuuu!! Agora a notícia mais impressionante: depois que você é aprovada recebe um papel/formulário que leva em outro escritório pra fazer o pagamento e poder receber a carteira. Adivinhem quanto foi??? EU tava morrendo de medo de sair caríííssimo por causa das reprovações, mas pasmem: custou apenas $10!!! Ufa, que alívio! No Brasil nem as taxas do Detran custam apenas R$20,00 além de ter que pagar pelo teste cada vez que faz. Estou ansiosa pra carteira chegar e finalmente poder guardar o passaporte!!